Apesar de vários navegadores já terem um botão “anti-rastreamento”, na verdade eles não funcionam direito, já que os anunciantes e empresas de rastreamento não fecharam nenhum acordo para levar a sério o sistema. Agora, pressionados pela Casa Branca para assegurar a privacidade online da população, isso deve mudar.

O Wall Street Journal relata que uma coalizão de empresas de internet, incluindo o Google, concrdou em apoiar a iniciativa “anti-rastreamento”. A ideia é que o botão esteja presente na maioria dos navegadores, e centenas de empresas aceitariam as regras quando o botão fosse ativado. De acordo com o WSJ, quando o botão for ativado:

“As empresas concordaram em parar de usar dados de hábitos de pessoas navegando na web para fazer publicidade customizada, e concordaram em não usar os dados para propostas de emprego, crédito, seguro ou plano de saúde. Mas os dados ainda poderão ser usados para coisas como ‘pesquisa de mercado’ e ‘desenvolvimento de produto’ e ainda podem ser acessadas por oficiais de justiça.”

Ou seja, pode ainda não ser completo, mas já é um começo. O anúncio contará com uma coalizão de mais de 400 empresas — que será chamada de Digital Advertising Alliance — e que começará a honrar o sistema anti-rastreamento em nove meses, de acordo com o WSJ.

Atualmente, o Firefox, o Internet Explorer e o Safari (pelo menos na versão do Mountain Lion) oferecem o botão anti-rastreamento. O Google deve seguir os mesmo passos e adicionar uma função similar ao Chrome no fim de 2012.

É um passo pequeno de uma enorme batalha, claro. Mas esperamos que isso melhore as condições de privacidade online. [Wall Street Journal; Imagem: w?odi]