[Tem alguma maior?]

A economia está uma droga. Mas, como Warren Buffett, seja ganancioso quando todos estão assustados. Se você tem uma grana extra, esta pode ser a melhor época para comprar uma HDTV, já que os vendedores não querem uma pilha delas envelhecendo em seus depósitos [pelo menos nos EUA]. Mas o que você deveria olhar em uma HDTV? Gary Merson – um cara que avaliou 125 TVs de uma vez –, do HD Guru, usa equipamento sofisticado para seus próprios estudos, mas nos contou as cinco coisas mais importantes a que mortais como nós e Joe o Encanador podemos atentar ao comprar uma HDTV.

Você não pode carregar um monte de sinais de teste e analisadores de espectro e levá-los às lojas para checar suas TVs (apesar de Gary fazer isso). Mas há algumas coisas básicas a que você atentar além das especificações, que são por vezes intencionalmente enganosas. Depois de dar uma olhada nos reviews de sites como HD Guru, CNet e Home Entertainment [no Brasil, recomendo o HT Forum] para ter uma idéia aproximada dos melhores modelos na sua faixa de preço, procure lugares onde estejam à venda e visite-os pessoalmente. Obviamente, as TVs no mostruário não estão sempre devidamente configuradas, mas, se a loja realmente quer vender – e agora elas querem mais do que nunca –, ela tem que lhe entregar um controle remoto e deixar que você mexa em tudo para fazer um exame minucioso.

 
Contraste

A relação de contraste é a coisa mais importante a observar nas HDTVs de hoje. Mas não seja enganado por besteiras como relação de contraste dinâmico de 1.000.000:1 – não significa nada, vez que não há nem mesmo equipamento de teste para fornecer prova documentada dos números retardadamente alto que eles lançam. O que você pode fazer, porém, é verificar os níveis de preto. Brancos brilhantes não são um grande problema hoje em dia – a maioria das TVs tem um bom desempenho nesse lado do espectro. Pretos são mais importantes.

Pegue uma cena escura e cubra uma área preta da tela com as suas mãos, de modo a bloquear a luz ambiente de sua visão. O que lhe parece? Brilha? Ou é realmente preto? Depois, como ele flui do escuro para o claro? É uma gradação suave ou uma mudança ríspida? Você quer pretos realmente profundos e escuros e brancos brilhantes, mas quer também uma boa e regular gradação entre os dois. Historicamente, as plasmas são melhores em preto, mas LCDs com backlight de LED estão alcançando-as. Como estas são ridiculamente caras, você provavelmente achará um melhor negócio com uma plasma.

 
Ângulo de visão

Esse teste é muito fácil. Posicione-se ao centro da TV. Movimente-se à esquerda e à direita. Quanto você se move até que as cores comecem a parecer estranhas ou percam muita saturação? Se um pouco de movimento já basta para ter as cores alteradas ou enfraquecidas, você poderá ter problemas. Você quer o maior ângulo de visão possível – ou seja, você quer que a imagem possa ser vista do ponto mais longe possível do centro sem perder a qualidade –, pois com isso as pessoas sentadas nos extremos laterais do sofá não enxergarão uma imagem pior do que as que estão no centro (obviamente supondo que a TV esteja ao centro do sofá). Como você pode ver aqui, mesmo LCDs da mesma fabricante podem ter ângulos de visão diferentes:

O ângulo de visão vertical é menos importante porque geralmente a tela é posicionada no mesmo nível dos seus olhos quando você está sentado, mas, se você assiste à TV enquanto faz outras coisas e não tem um suporte giratório de parede, tente ver como as cores mudam ou desaparecem quando você se agacha ou fica na ponta dos pés.

As LCDs têm mais problemas do que as plasmas nesse quesito. TVs de projeção microdisplay, como a Mitsubishi LaserVue as DLPs, também estão sujeitas a problemas de ângulo de visão – na maioria das vezes, uma redução no brilho.

 
Resolução estática

A resolução estática é um pouco difícil de avaliar de forma abrangente sem sinais de teste, mas você pode atentar a isso olhando com atenção a detalhes finos de um cenário. Ao assistir a uma partida do Corinthians, por exemplo, você consegue ver claramente as listras das camisas de seus jogadores? Em um close em uma cabeça, consegue ver cada fio de cabelo dela? O negócio aqui são os detalhes. Com uma TV ruim, você simplesmente não consegue vê-los.

 
Resolução em movimento

A resolução em movimento é extremamente importante se você for fã de esportes ou filmes de ação. É algo razoavelmente fácil de se testar. Lembra-se das listras do manto do Todo Poderoso Timão? Elas podem até parecer nítidas quando o jogador está parado, antes de cobrar uma falta. Mas e quando ele começa a correr? As listras continuam visíveis? E as pernas dele, você consegue vê-las, ou elas são uma mancha total? Em uma TV com boa resolução em movimento, você não perderia esses detalhes. Novamente, o plasma tradicionalmente leva vantagem nesse quesito, ainda que os modelos de 120 Hz consigam amenizar bem esse problema inerente do LCD.

 
Impressão geral

Esse é provavelmente o ponto mais subjetivo, mas no final das contas é o que realmente importa. Você gosta do que vê? Em um bom televisor, a imagem será nítida; as cores, vibrantes e ricas (saturadas). O modo mais “objetivo” de avaliar isso é olhar faces. Elas parecem reais, com transições naturais e suaves entre áreas claras e escuras, ou há severas discrepâncias? Algumas HDTVs mais velhas davam um visual de cera a faces em definição standard. Pense em qual você acha que realmente tem uma imagem fantástica (dentro do seu orçamento, lógico).

Isso deve cobrir grande parte do básico sobre avaliação de qualidade de imagem – não é a única coisa a ser conferida em uma HDTV, mas com certeza é a mais importante depois do preço. Confira também mais informações sobre plasma e LCD aqui.