A inteligência artificial AlphaGo, do Google, derrotou Lee Sedol – campeão mundial de Go – pela quarta vez. Esta é uma vitória retumbante para a AI, que ganhou quatro dos cinco jogos contra o seu adversário humano.

>>> Google vence Facebook em corrida para marco histórico da inteligência artificial

No Go, os jogadores colocam pedras pretas e brancas em um tabuleiro 19 x 19, e cercam peças do adversário para capturá-las. O objetivo é controlar pelo menos 50% do tabuleiro. (Confira todas as regras aqui.)

Trata-se de um torneio melhor-de-cinco e o AlphaGo ganhou nas três primeiras vezes, mas é tradicional no Go que sejam jogadas todas as partidas.

Sedol conseguiu vencer a quarta partida, e pensava-se que hoje ele poderia explorar novamente a mesma fraqueza encontrada antes no software. Demis Hassabis, CEO da Google Deepmind, colocava as probabilidades em cerca de 50%-50%.

De fato, a partida foi bastante acirrada até o fim. Os comentaristas notavam que o jogo virava o tempo todo; cada um dos oponentes usou o limite máximo de duas horas e entrou na prorrogação, chamada de byō-yomi.

Mas, depois de 280 movimentos, Lee renunciou. O comentarista Michael Redmond diz em comunicado:

Era difícil dizer em que ponto o AlphaGo estava ganhando ou perdendo, porque o jogo estava acirrado em toda parte. O AlphaGo cometeu o que parecia ser um erro no movimento 48, semelhante ao erro da quarta partida, no meio do tabuleiro. Depois disso, ele jogou muito bem no meio do tabuleiro, e a partida se tornou bem longa e bem difícil.

A inteligência artificial já derrotou Fan Hui, campeão europeu de Go, ao longo de cinco partidas. Ou seja, no total, o AlphaGo ganhou nove dos dez jogos que disputou contra os campeões europeu e mundial – é um lembrete de que a tecnologia de AI está avançando em um ritmo impressionante.

Este é um divisor de águas semelhante à vitória do supercomputador IBM Deep Blue contra o grande mestre do xadrez Gary Kasparov. Existem 10^60 situações possíveis de tabuleiro no xadrez; enquanto isso, o Go conta com 10^700 situações possíveis.

O tipo de inteligência artificial no AlphaGo consegue navegar melhor através da lógica, analisando uma sequência de ações numa maneira ainda mais competente. É por isso que grandes empresas de tecnologia, como Google e Facebook, têm um interesse tão grande nela.

E todo o evento também apresentou o milenar jogo Go a um público maior. Chris Garlock, editor do American Go E-Journal, diz em comunicado: “este é um presente para o Go. Isso vai ajudar muito a apresentá-lo para novos públicos. Nós não poderíamos ter concebido isso melhor, e a disputa teve jogos belíssimos”.

Após a vitória do AlphaGo, o Google vai doar US$ 1 milhão para organizações do Go, para instituições que promovem educação STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática) e para a Unicef.

[Google]


Foto por Lee Jin-man/AP