Na primeira de uma série de partidas, a poderosa inteligência artificial AlphaGo – do laboratório Google Deepmind – venceu o campeão mundial de Go, Lee Sedol.

>>> Google vence Facebook em corrida para marco histórico da inteligência artificial

Segundo o Google, “o primeiro jogo foi apertado”. O AlphaGo ganhou por renúncia depois de 186 movimentos, em um jogo que “parecia estar acirrado desde o início, cheio de combates complexos em ambos os lados”.

As partidas entre Sedol e AlphaGo – a primeira de cinco – estão sendo transmitidas ao vivo no YouTube. O grande vencedor da série de cinco jogos vai receber US$ 1 milhão. (Se o AlphaGo ganhar, o dinheiro irá para a caridade.)

O próximo jogo será nesta quinta-feira (10), e as próximas partidas serão realizadas nos dias 12, 13 e 15. Ou seja, o campeão será conhecido até a próxima terça-feira.

Todo o evento lembra a partida de xadrez de 1996 entre o grande mestre enxadrista Gary Kasparov e o supercomputador Deep Blue da IBM. O desafio para a inteligência artificial aqui, no entanto, é bem mais difícil: existem 10^700 situações possíveis de tabuleiro no Go, contra “apenas” 10^60 para o xadrez.

O Go remonta à China antiga, e funciona assim: você coloca pedras pretas ou brancas em um tabuleiro 19 x 19. Quando um jogador cerca qualquer uma das peças do oponente, ela é capturada. O objetivo do jogo é controlar pelo menos 50% do tabuleiro.

O AlphaGo já derrotou Fan Hui, três vezes campeão europeu de Go, ao longo de cinco partidas, mas Sedol é amplamente considerado como um desafiador muito mais difícil, depois de ter dominado o mundo do Go por grande parte da sua carreira profissional.

Após o jogo, Sedol disse:

Eu gostaria de expressar o meu respeito à equipe da Deepmind por fazer um programa tão incrível como o AlphaGo. Estou surpreso com este resultado. Mas eu gostei da partida e estou ansioso para a próxima.

Por que Google e Facebook estão interessados nessa inteligência artificial? Bem, eles não querem apenas jogar Go com oponentes humanos. Como explicamos aqui, isso terá impacto sobre a maneira em que os computadores analisam uma sequência de ações, ajudando a AI a navegar através da lógica. Isso pode ser útil no reconhecimento facial e em buscas preditivas, por exemplo, áreas de interesse para ambas as empresas.

[Google]

Foto por Linh Nguyen/Flickr