A Motorola Mobility vai demitir mais de 10% dos seus funcionários – cerca de 1.200 – na sua tentativa de voltar a ser lucrativa, diz o Wall Street Journal.

O corte de vagas ocorrerá nos Estados Unidos, China e Índia para diminuir custos, e é só mais um capítulo do enxugamento que a empresa sofre desde que foi comprada pelo Google por US$ 12,5 bilhões

Os 1.200 funcionários que deixarão a Motorola se juntam a fábricas fechadas (uma vendida no Brasil), venda da divisão de home entertainment e diminuição da quantidade de aparelhos lançados. E quase 20% dos empregados deixaram a empresa após a aquisição do Google – em agosto do ano passado foram anunciadas 4 mil demissões. Os cortes recentes são uma continuação do processo iniciado em 2012.

As novas demissões são uma tentativa da Motorola ao menos diminuir as perdas sofridas a cada trimestre. Pode ajudar a diminuí-las, mas o lucro só deve voltar com o lançamento de produtos bons – o que vai demorar, já que smartphones padrão de qualidade do Google não chegarão logo às lojas. O que esperamos é que ao menos o “X Phone” seja lançado ainda neste ano. [WSJ]