O Google é conhecido, entre outras coisas, por desenvolver o Android e o Chrome OS. Há diversos indícios de que a empresa está trabalhando em um novo sistema operacional, e ele se chama Fuchsia.

Google estaria criando dispositivo que mistura realidade virtual e aumentada
Como serão os novos smartphones e smartwatches da linha Nexus, do Google

O código está armazenado em um repositório do Google e também no GitHub, onde ele é descrito apenas como “Rosa + Roxo == Fúcsia (um novo Sistema Operacional)”. Será que ele vai unir o Android e o Chrome OS? Rumores diziam que isso iria acontecer em 2017.

No entanto, a base aqui não é o Linux, e sim o kernel Magenta, descrito pelo Android Police como um concorrente a sistemas operacionais comerciais embarcados, para computadores com uma só função.

Ainda assim, o Fuchsia parece ter um escopo mais amplo: ele é capaz de rodar em smartphones e PCs. A documentação do Google diz que o sistema “tem como alvo celulares modernos e computadores pessoais modernos” que usam “processadores rápidos” e “valores não-triviais de RAM”.

Brian Swetland, um dos desenvolvedores listados na página do GitHub, diz que o Fuchsia “faz boot razoavelmente bem” em computadores portáteis com processador Intel, bem como em um laptop Acer Switch Alpha 12 (um clone do Microsoft Surface). E Travis Geiselbrecht, do Google, confirma que o sistema estará disponível em breve para o Raspberry Pi 3.

O Android Police especula que esta pode ser uma resposta ao Tizen, da Samsung, que pode rodar em smartphones mas tem presença mais forte em TVs:

Talvez o Google trate o Fuchsia como a Samsung trata o Tizen OS; um sistema operacional leve usado em hardware que não é adequado para o Android completo. O conjunto de hardware embarcado, como o roteador OnHub e o Google Home, está crescendo. Talvez o Fuchsia esteja sendo desenvolvido mais para dispositivos como estes?

Ou, claro, talvez tudo isso seja apenas um experimento que o Google vai deixar de lado no futuro. O jeito é esperar para ver.

[GitHub e Hacker News via Android Police via The Verge]