Em abril, um usuário resolveu encher o Google Maps com todo tipo de imagem: o logotipo do Skype, o símbolo de “tóxico”, e até um Android urinando em uma maçã. Algumas semanas depois, o Google fechou a ferramenta Map Maker, mas vai reabri-la de novo em breve – e quer ajuda para evitar vandalismo.

Em um post sobre a reabertura do Map Maker, a gerente de produto Pavithra Kanakarajan diz que o Google dará mais poderes a certos usuários de determinados países, chamados de “Líderes Regionais”.

Ela explica:

Nós vamos selecionar mapeadores em cada região e oferecer-lhes a oportunidade de se tornar um “Líder Regional” no Map Maker. As edições feitas na região do Líder serão analisadas tanto por sistemas automatizados de moderação do Google, como pelo próprio Líder Regional. Operadores do Google só ocasionalmente farão moderação nessas áreas.

Qualquer pessoa poderá editar mapas, assim como antes. A mudança é no processo de aprovação dessas mudanças: antes, bastava receber o Sim de alguns revisores; agora, é preciso passar por um Líder Regional.

Pavithra lembra que, “como as edições serão revisadas por outros usuários em sua comunidade, elas podem demorar mais tempo para serem aprovadas”.

O Google vai enviar convites para potenciais Líderes Regionais concorrerem ao cargo. A empresa vai analisar o perfil dos candidatos e escolhê-los antes de o Map Maker ser reaberto.

Mapa-com-robo-do-Android-1260x710

Toda a confusão começou quando o usuário “nitricboy” passou a vandalizar mapas do Paquistão. Ele passou anos editando os mapas do Google com contribuições que pareciam úteis, mas por algum motivo, deixou de seguir as regras. Depois da polêmica, ele ainda tentou desenhar o logotipo do Facebook, do Tumblr e um “não curti”, mas suas alterações foram (obviamente) negadas.

O Map Maker será oferecido novamente, em fases, a partir de agosto. [Google via Search Engine Land]

Foto por Jeff Chiu/AP