Os mosquitos não são apenas irritantes. Eles podem espalhar doenças e vírus perigosos e, por isso, tem um pessoal estudando como combatê-los. Pesquisadores da Universidade Brown podem ter encontrado um repelente perfeito contra pernilongos: roupas forradas com grafeno.

Para quem não está familiarizado, o grafeno é um material feito de apenas uma camada de átomos de carbono dispostos em uma malha hexagonal bidimensional. Ele é leve, mas 100 vezes mais forte do que o aço, e tem sido usado para diversas aplicações: adesivos para monitoramento dos níveis de glicose, pneus de bicicleta com aderência adaptável e até mesmo para ilusões de ótica.

Num artigo publicado nesta segunda-feira (26) na revista Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, pesquisadores da Universidade Brown detalham como tecidos revestidos com óxido de grafeno que estavam sendo desenvolvidos para servir como uma barreira a produtos químicos tóxicos também protegiam as pessoas de ataques de mosquitos de duas maneiras diferentes.

Para começar, descobriu-se que os pernilongos não tinham força o suficiente para que sua probóscide – o apêndice que usam para perfurar a pele e retirar o sangue – realmente penetrasse a fina camada de óxido de grafeno.

O material age como uma espécie de campo de força impenetrável para as picadas, mas também acaba funcionando como um atrativo para os mosquitos, uma vez que os sinais químicos da pele humana ainda passam pelo tecido e alertam os insetos.

Porém, quando os indivíduos desgastaram uma camada fina do tecido protegido com a camada extra do óxido de grafeno, os mosquitos nem chegaram a pousar nas pessoas – mesmo que houvesse trechos de pele exposta, funcionando como um repelente.

Ou seja, ao usar uma roupa com esse material, você nem precisaria se preocupar com o zumbido irritante dos pernilongos perto do seu ouvido.

Apesar dos benefícios, o material não era perfeito. O material com óxido de grafeno utilizado no estudo só repeliu os pernilongos com eficácia quando estava totalmente seco. Se o tecido molhasse, todas as propriedades repelentes iam embora.

Para contornar isso, os pesquisadores descobriram que uma outra forma de óxido de grafeno com conteúdo de oxigênio reduzido era efetivo independe se estivesse seco ou molhado – porém, mudar a composição significava que o material não era mais respirável. Ou seja, você ficaria a salvo dos pernilongos, mas ia se sentir dentro de uma sauna.

Essa é uma grande notícia para quem odeia pernilongos, mas uma notícia ainda melhor sob o ponto de vista da saúde global. A Organização Mundial de Saúde estima que “milhões de mortes a cada ano” são causadas por mosquitos que espalham uma variedade de doenças aos seres humanos.

O próximo passo para o time de pesquisadores é encontrar uma maneira de estabilizar a camada protetora do óxido de grafeno regular para que ele seja resistente a todas as condições – esteja seco ou molhado – e seja confortável de se vestir. Se conseguirem isso, será o paraíso para quem curte trilhas e acampamentos.