Se você foi digitalmente influenciado pela série original da Netflix Ordem na Casa com Marie Kondo ou pelo meu post sobre como organizar o celular, talvez queira fazer uma geral no seu computador também. Pelo menos para mim, é o dispositivo mais bagunçado – principalmente pelo fato de eu armazenar mais tipos de arquivos e ser o aparelho de trabalho e estudos.

Fora que, na correria, é normal baixar um arquivo, deixar ele ali na área de trabalho e simplesmente esquecer de apagá-lo com o tempo. Eu lido bastante com imagens, por exemplo, mas tenho o hábito de apagá-las uma vez por semana (até para facilitar de encontrar aquelas que precisarei usar).

Organizar o seu computador pela primeira vez depois de algum tempo pode ser difícil. Mas depois de criar uma boa estrutura de pastas na qual você se sinta confortável para achar os arquivos com facilidade, a experiência se torna mais tranquila.

Logo de cara, adianto uma dica valiosa: sempre renomeie seus arquivos e com nomes diretos. Já vi muita gente se matando para achar um arquivo que tinha um nome muito cifrado.

Comece pelos programas e jogos

Ícones de programas no macOS

Provavelmente alguns dos programas instalados em seu computador já não são mais úteis. Alguns jogos que você pode ter baixado já foram zerados ou não te interessam. Por isso, vale a pena começar fazendo uma análise do que você tem instalado no seu computador e que só está lá acumulando poeira.

No Windows, vá até Configurações > Aplicativos e acesse a aba Aplicativos e recursos. Ali você vai ver tudo o que está instalado no seu computador. Passe pela lista e remova o que não é mais útil. Para isso, é só clicar no app e depois em Desinstalar.

No macOS, acesse o Finder e clique em Aplicativos. Para apagar qualquer um deles, basta movê-lo para o Lixo.

Depois de remover o que não é mais necessário, recomendo checar se há atualizações para os aplicativos que permaneceram. Isso é importante para deixar o seu computador seguro, livre de brechas de segurança. Geralmente, os softwares possuem um botão nas configurações para checar por updates.

Faça uma limpa na sua área de trabalho

Desktop bagunçado

A minha área de trabalho (ou desktop) costumava ser a parte mais caótica do meu computador. É comum eu deixar ali arquivos temporários ou coisas que sei que precisarei acessar em breve – é inevitável ir acumulando tralhas.

Dê uma olhada nos arquivos e pastas que você tem no seu desktop e, conforme detectar coisas inúteis, aproveite para deletar. Para facilitar a inclusão de arquivos em pastas, vá juntando eles caso forem relacionados – simplesmente arrastando e soltando uns próximos dos outros.

Abra os arquivos e renomeie-os de forma clara. Deste modo, fica fácil até de fazer uma busca pelo arquivo (no Windows, aperte a tecla Win e digite; no macOS aperte CMD + Espaço para ativar o Spotlight).

Eu sou a favor de deixar o desktop sempre limpo, mas isso é totalmente opcional. Tente não deixar tudo junto, principalmente se você usa Windows (mantenha os atalhos para os programas de um lado e as pastas/arquivos de outro, por exemplo). Depois de dar uma primeira arrumada na área de trabalho, vá para a sua pasta de documentos.

Limpe os seus documentos e downloads

Menu mostra armazenamento restante no Mac

Antes de começar a analisar os arquivos que estão na pasta “Documentos”, recomendo baixar um software que analise o seu armazenamento e detecte arquivos duplicados. Muitas vezes copiamos arquivos e eles vão se acumulando se que a gente perceba – e isso pode consumir bastante do seu espaço de armazenamento, inclusive.

Para Windows, recomendo o Duplicate Cleaner. Ele é capaz de escanear o conteúdo do arquivo e não fica só no nome. Ele faz uma varredura por músicas, filmes, pastas e até fotos, checando o que é muito similar. Depois, um assistente de ajuda a remover. Essa solução, no entanto é paga – custa R$ 95,89 a licença completa.

Uma alternativa é o conhecido CCleaner. Para encontrar arquivos duplicados, selecione “Ferramentas”; em seguida, vá em “Localizar ficheiros duplicados”. Você pode ajustar a busca, mas o ajuste padrão faz uma varredura do disco C:. Depois, é só clicar em “Buscar” e analisar o que for exibido.

No macOS, você pode fazer isso manualmente – mas a tarefa pode ser ingrata (há softwares que ajudam, como vamos indicar abaixo). Para detectar as duplicadas siga os passos:

  1. Abra o Finder;
  2. Na barra do topo clique em Arquivo e depois Nova Pasta Inteligente;
  3. Você verá um botão “+”, clique nele e selecione o parâmetro que preferir (Tipo, Data de modificação, etc);
  4. Faça a busca que desejar e sempre classifique em ordem alfabética. Isso vai te ajudar a identificar as duplicatas.

Outra opção é baixar o Duplicate File Finder Remover e deixar ele fazer o trabalho pesado. O software é bem direto e fácil de usar, não tem segredo.

Depois, abra a sua pasta “Downloads” ou “Transferências”. A maioria das coisas que estão lá certamente são inúteis (como aquele ingresso para o cinema que você baixou o PDF para imprimir e deixou lá). Faça a limpa e o que você quiser guardar, coloque em alguma pasta, como recomendado no passo a seguir.

Organize os arquivos

Pastas no Mac

Depois de fazer a limpa inicial, está na hora de realmente organizar as coisas.

Recomendo criar pastas por assunto: “Trabalho”, “Faculdade”, “Contas e Comprovantes”, “Comprovantes”. Além disso, eu costumo incluir ainda pastas com datas dentro delas, principalmente as mais abarrotadas como “Contas e Comprovantes”.

Você pode incluir subgêneros também. Eu, por exemplo, tenho uma pasta “Faculdade”; dentro dela há uma pasta para cada semestre; dentro dessa crio pastas para cada disciplina e, por fim, para cada disciplina tenho pastas para livros/textos para ler e outra para atividades.

Para fotos, você pode escolher criar fotos por datas, por assuntos (como “Família” ou “Viagem para Rio de Janeiro”) ou até mesmo por locais.

No caso de filmes, crie uma pasta geral “Filmes” e uma pasta para cada título. Para as músicas, recomendo ter uma pasta por artista e dentro delas uma pasta para cada álbum.

Mantenha tudo isso em um único lugar. Pode ser o seu desktop (mas ele pode ficar cheio), mas recomendo a pasta “Documentos”.

Uma dica interessante é manter tudo organizado em ordem alfabética. No Windows, clique na aba Exibir no topo > Classificar por > escolha a opção Nome e marque Ordem crescente. No macOS, abra o Finder > clique em Visualizar na barra do topo > Ordenar por > Nome. Ou simplesmente use o atalho Shift + Option + CMD + 1.

Crie um arquivo morto

Tem muita coisa que a gente precisa guardar mas raramente precisa – ou achamos que um dia vamos precisar, embora não tenhamos muita certeza. Neste caso, crie um “arquivo morto”. Mantenha-o organizado da mesma forma que recomendamos acima, deste modo será fácil achar qualquer item quando for necessário. E, mais uma vez: mantenha nomes simples e diretos para todos os seus arquivos.

Use atalhos para arquivos

Quando você precisar que algum item (seja ele do arquivo morto ou não) fique mais fácil, não crie uma cópia na área de trabalho. Em vez disso, crie um atalho para o arquivo original. Funciona do mesmo jeito e mantém tudo no seu lugar. É fácil de fazer a função existe para Windows e macOS: clique com o botão direito sobre o arquivo e escolha “Criar Atalho”. Depois, mova o atalho para onde você precisar.

Faça um backup local e na nuvem

Depois de organizar tudo, é uma boa ideia fazer um backup geral da sua máquina. Isso pode prevenir muitas dores de cabeça.

No macOS, há o ótimo Time Machine. O software da própria Apple se encarrega de criar um backup completo do seu computador e permite restaurá-lo rapidamente para diversas datas diferentes. Tudo o que você precisa é ter um HD externo com espaço o suficiente – recomendo ter uma partição dedicada ao Time Machine.

No Windows, o processo é um pouco mais nebuloso. Há a opção “Backup” disponível nas Configurações (você pode ir até o Menu do Windows e digitar “backup” para encontrá-lo rapidamente). Ele permite guardar seus arquivos em um armazenamento externo (pendrive ou HD externo) para que sejam restaurados em caso de algum problema. Outra opção, para criar uma imagem completa do seu sistema, está disponível no Painel de Controle. Acesse Painel de Controle > Sistema e Segurança > Backup e Restauração (Windows 7) > Criar uma imagem do sistema.

Confira neste guia o passo a passo para fazer um backup local completo, tanto no Windows quanto no macOS.

Vale a pena manter uma cópia dos seus arquivos e pastas mais importantes na nuvem. Isso pode ser feito facilmente baixando os softwares do Google Drive, Dropbox, OneDrive ou pelo iCloud. Cada um desses serviços oferece uma quantia de armazenamento gratuitamente.

Mantenha a organização

A chave para não ter que passar por esse processo nunca mais é manter tudo organizado. Se você estiver na correria, faça uma organização básica pelo menos uma vez por semana. Crie o hábito de por nomes claros em seus arquivos e mantém-los nas pastas certas. Ah, e não economize na função de pesquisa do seu sistema operacional (é muito mais rápido encontrar qualquer item buscando pelo Spotlight ou pela ferramenta equivalente do Windows do que navegando por pastas).

Recomendo dar uma olhada também neste guia que te ajuda a descobrir o que pode estar deixando o seu computador lento.