Uma garota de sete anos de idade estava jogando Roblox há algumas semanas quando seu personagem foi atacado por outros dois. Sua mãe, Amber Petersen, viu o acontecido se desenrolando na tela do iPad. Dois personagens masculinos assediaram sexualmente o avatar de sua filha enquanto ele estava deitado no chão.

Horrorizada, Petersen capturou imagens da tela e postou no Facebook, atacando a produtora do jogo (a empresa também chamada Roblox) por permitir que isso acontecesse em um game para crianças. No post, ela descreve o que testemunhou:

No começo, eu não acreditei no que estava vendo. O avatar doce e inocente da minha filha estava sendo VIOLENTAMENTE ESTUPRADO EM UM PLAYGROUND por dois personagens masculinos. Um terceiro, feminino, se aproximou e pulou sobre o corpo dela no final do ato. Os três, então, fugiram, deixando o personagem da minha filha caído de cara no meio do parquinho.

A Roblox disse à BBC que bloqueou a conta responsável pelo ataque sexual virtual por ter violado as políticas da comunidade.

Agora, a empresa diz que o ato foi praticado por um hacker. De acordo com a matéria da TV britânica, ele teria se infiltrado pelo sistema de proteção do jogo e feito o upload de um código. Isso permitiu que ele mudasse as regras e criasse animações customizadas.

“O incidente envolveu um malfeitor, que foi capaz de subverter nossos sistemas de proteção e explorar um processo do jogo que rodava em um único servidor”, disse um porta-voz da empresa ao Gizmodo. “Nós temos tolerância zero com comportamentos desse tipo e tomamos ações imediatas para identificar como esse indivíduo foi capaz de criar essa ação ofensiva. Também colocamos novas proteções para prevenir que isso aconteça de novo.”

O site da Roblox diz que a empresa protege os jogadores “ao filtrar proativamente conteúdo inapropriado e agir contra qualquer um que viole” suas regras de conduta. A companhia tem uma equipe de moderação, que revisa imagens, vídeos e áudios, de acordo com sua página oficial. O jogo também usa um sistema automatizado para monitorar a comunicação entre os jogadores. Os pais, inclusive, podem usar ferramentas de proteção para modificar a experiência e bloquear outros jogadores.

Roblox tem ao menos 64 milhões de jogadores por mês. Ele permite que esses jogadores criem seus próprios jogos e atividades. A intenção é encorajar a criatividade, mas agora descobrimos que isso também é uma lacuna para a depravação.

[BBC / Washington Post]