Eis a resposta da Barnes and Noble para o Kindle Fire HD: o Nook HD de 7 polegadas, e o Nook HD+ de 9 polegadas. A B&N está na ofensiva contra a Amazon, e também contra os diversos tablets menores que surgiram no mercado. Será que ela tem chance? Passamos um tempo com os tablets, e bem… talvez.

Hardware

O Nook HD de 7 polegadas possui tela de 1440×900 pixels que ultrapassa a concorrência: seus 243ppi ganham de longe dos 216ppi no Nexus 7 e Kindle Fire HD. No Nook HD+, por sua vez, a tela de 9 polegadas possui resolução 1920×1280 e tem 256ppi – bem próximo aos 264ppi do iPad Retina.



Em ambos, os ângulos de visão são amplos: a cor não se modifica nem degrada muito nos ângulos comuns de visualização, e as cores são vibrantes e nítidas. Em fundos brancos, o Nook é um pouco mais branco do que o Fire HD. Isso vai tornar a leitura mais confortável no longo prazo? Não sabemos, mas com certeza a tela é nítida.

E o tablet é leve! Nossa, como o Nook é leve. Você esquece o quanto ele é mais leve que os outros: o Nook HD de 7 polegadas pesa 20% a menos que o Kindle Fire HD – e ele já é levíssimo. O Nook HD+ de 9 polegadas, por sua vez, pesa meros 515g. O design mais largo e plano do Kindle Fire HD o faz parecer mais leve do que é, mas a diferença de peso no novo Nook é bem perceptível.

E as especificações? O Nook HD de 7 polegadas usa um processador TI OMAP 4470 de 1.3GHz, enquanto o modelo de 9 polegadas tem uma versão de 1.5GHz do mesmo chip. Eles têm clock um pouco mais rápido que o Kindle Fire e o Nexus 7 – e têm memória um pouco mais rápida – para lidar com os pixels a mais.

A B&N afirma que a bateria em ambos os Nooks pode durar por até 9 horas em reprodução de vídeo HD, ou 10,5h de leitura – mas provavelmente você não chegará a esses números com o brilho no máximo.

A Barnes and Noble não nos deixou ouvir os alto-falantes no modelo de 7 polegadas, mas no Nook HD+ o som não era nem alto nem nítido – uma desvantagem notável em relação ao Kindle Fire HD. Apesar do software estéreo que deveria dar a impressão de plenitude no som, ele obviamente ainda sai de apenas um lado do dispositivo.

O problema é este: o Nook HD não parece um tablet premium. Talvez seja o corpo de plástico resistente que o faz parecer barato, ou quem sabe o orifício tosco no canto inferior esquerdo – como se ele fosse tão barato que você pudesse pendurar em um chaveiro. O Nook HD tem um design utilitário: ele preza qualidade de tela e ergonomia. Mas parece barato. E as pessoas cada vez mais querem algo que pareça premium, não importa se os componentes forem bons ou não.

Software

O Nook fica um pouco à frente do Kindle em questão de software, mas apenas um pouco. Ele ainda deixa você meio que desejando um Jelly Bean limpo como no Nexus 7. A Barnes and Noble não quis responder se o software que vimos já estava pronto para lançamento; de um jeito ou de outro, a equipe de software ainda tem muito trabalho a fazer. Mas nós conseguimos ter uma boa ideia do design geral no software.

Na superfície, ele é muito parecido com o Kindle OS. Ele também usa o Ice Cream Sandwich como base, e tem um carrossel de aplicativos e itens usados recentemente na parte superior da tela inicial. Abaixo ficam alguns favoritos, e mais abaixo estão os botões para acessar a Biblioteca, Apps, Web, E-mail e Loja. É uma ideia melhor que da Amazon: o Nook é mais organizado, o que é bom – porém às vezes é menos conveniente, escondendo certos botões.

Você pode alternar entre seis perfis de usuário, e até usar controles parentais para determinar o que perfis de crianças podem acessar e comprar. O Kindle Fire tem algo semelhante, e parece bem útil.

Uma das coisas mais interessantes que o Nook tenta fazer com o software são os chamados Canais. Eles lembram bastante as sugestões do Netflix – como “documentários aclamados pela crítica” ou “comédias com ator X” – mas também em livros, apps e todo tipo de conteúdo que a Barnes and Noble vende. Então o canal “História Americana em Destaque” seria preenchido com livros, audiobooks, apps, filmes e quadrinhos sobre momentos decisivos na história americana. É eficaz, e parece mais útil do que a abordagem da Amazon: “Você leu uma HQ do Batman? Então toma aí MAIS HQS DO BATMAN”.

A B&N consegue se manter próxima à Amazon em livros, HQs e revistas, mas o Kindle ganha no conteúdo em vídeo. Não há Amazon Prime para consumo quase ilimitado, e é difícil imaginar consumidores nos EUA migrando de plataforma a esta altura do campeonato.

Quando (e quanto)

O Nook HD de 7 polegadas vem em versões de 8GB e 16GB, por US$200 e US$230, respectivamente.

O Nook HD+ de 9 polegadas, nas versões de 16GB e 32GB, custa US$270 e US$300. A B&N vai vender um adaptador HDMI separadamente por US$40 (enquanto o Kindle Fire HD já vem com saída HDMI). Todos os modelos serão lançados no final de outubro.

Claro, isso é apenas uma curiosidade para nós, brasileiros, porque o Nook não funciona por aqui. Mas ele realmente pode ameaçar o Kindle Fire HD? Este foi apenas um rápido hands-on, então o julgamento completo ficará para o review. Mas está claro que a Barnes and Noble tem um lugar à mesa nesta nova rodada de tablets. Ela tem ideias. Mas isso importa? Bem, depende de pessoas estarem dispostas a considerar uma alternativa muito boa… que não é muito bonita.