Há um ano, o OnePlus One nos impressionou com boas especificações e preço camarada: uma startup chinesa conseguiu entregar um aparelho Android de alta qualidade cobrando a partir de US$ 300. Agora, eles estão de volta com o novo OnePlus 2.

A partir de US$ 329, o OnePlus 2 é ligeiramente mais caro que o original, porém melhorou em tantos aspectos que eu quase não sei por onde começar. Bem, talvez seja mais rápido dizer o que está faltando: ele não tem uma tela linda 2K ou carregamento sem fio como o Galaxy S6, e não tem entrada para cartão SD, bateria removível ou controles manuais de câmera como o LG G4.

Mesmo sem isso, o smartphone é sensacional. Ele tem processador Snapdragon 810 de oito núcleos, com precauções para o chip não superaquecer. Há duas entradas para nano SIM; entrada USB Type-C reversível; e até um leitor de impressões digitais.

Tudo isso vem acompanhado por uma tela Full-HD de 5,5 polegadas, uma câmera OmniVision de 13 megapixels com estabilização ótica de imagem e foco laser, e até 64 GB de armazenamento e 4 GB de RAM.

Chassis

No entanto, as partes mais impressionantes do OnePlus 2 pouco têm a ver com especificações. Elas têm a ver com a sensação de usá-lo – é excelente.

Ao tocar este smartphone, você não vai acreditar que ele custa apenas US$ 330. Em termos de materiais e qualidade de construção, ele é semelhante a aparelhos que custam quase o dobro – seja da Samsung, LG ou HTC.

Se você torceu o nariz para o OnePlus One do ano passado por ser feito de plástico, você vai se interessar pelo OnePlus 2. O único plástico aqui está na tampa traseira removível. Não há botões ruins de plástico: todos são feitos de metal tátil e preciso.

OnePlus Two - hands-on (3)
OnePlus 2 em cima; OnePlus One embaixo

Isso inclui o botão liga/desliga, o controle de volume e – o meu favorito – um controle de modo silencioso. Ele possui três posições: deixar tudo no silencioso, ativar o som ou permitir apenas as notificações de seus contatos prioritários.

OnePlus Two - hands-on (6)

O metal deixa o aparelho ligeiramente mais pesado (são 175 g) e quase 0,5 milímetro mais grosso (são 9,85 mm), mas eu não ligo nem um pouco. Ele também é um milímetro mais curto em ambos os sentidos, e acho que isso melhora a ergonomia. O One era um pouco grande para o meu gosto; o 2 se encaixa mais fácil na minha mão.

Ao segurá-lo com a mão esquerda, o botão liga/desliga fica sob o dedo indicador, e o botão de silencioso fica sob o polegar, mas não dá para alcançar o controle de volume.

OnePlus Two - hands-on (5)

Com a mão direita, é possível aumentar ou diminuir o volume.

OnePlus Two - hands-on (4)

Eu meio que sinto falta da borda de metal que dava ao OnePlus One uma aparência distinta, mesmo de frente, mas o 2 ainda mantém o mesmo espírito com uma ponta de metal chanfrado abaixo do seu vidro Gorilla Glass. Dependendo do tamanho da sua mão, isto pode adicionar um pouco de aderência.

Mas o vidro e o metal são apenas parte da história quando se trata da sensação tátil. O resto vem na forma de tampas traseiras opcionais de US$ 27, que utilizam madeira de verdade (bambu, palissandro, damasco preto) ou Kevlar, e elas são impressionantes. Até mesmo a tampa traseira padrão do OnePlus 2 é boa, e oferece maior aderência – mas prefiro a versão em Kevlar ou bambu.

OnePlus Two - hands-on (1)

Este é um nível de personalização que poucos smartphones top de linha oferecem. Por exemplo, o Moto X permite escolher uma traseira de couro ou madeira, mas ela não é removível.

Eu só espero que não seja tão difícil remover a tampa traseira como foi na minha unidade pré-lançamento – eu lasquei um pedacinho da unha tentando fazer isso hoje.

Tela

A tela é quase sempre a parte mais importante de um smartphone. E a tela do OnePlus One original não era particularmente maravilhosa.

Lembro-me vividamente de tirar fotos lado a lado usando o Xiaomi Mi Note e o OnePlus One há alguns meses: ambos têm exatamente o mesmo sensor de câmera da Sony, mas as imagens pareciam muito piores no OnePlus. Descobri que, na verdade, o problema era a tela, que tinha imagens muito lavadas.

OnePlus Two - hands-on (12)

Bem, a tela LCD com resolução Full-HD no OnePlus 2 é brilhante e bonita. A empresa alega que ela atinge 600 nits de brilho, mais do que o iPhone 6 Plus. Pessoalmente, eu não acho que ela seja tão linda quanto as telas OLED 2K que você vai encontrar em um Samsung Galaxy S6 – você pode definitivamente ver fileiras de pixels se olhar de perto – mas para um telefone de US$ 330, a tela é muito boa.

Câmera

A câmera melhorou bastante, também. O novo sensor Omnivision de 13 megapixels é talvez a mais clara evidência ainda que megapixels não significam nada. Ele tem o mesmo número de megapixels que na geração anterior, mas as imagens são sempre melhores.

Aqui estão alguns recortes de 100% do OnePlus One e OnePlus 2 em boa iluminação. Basta ver como há menos ruído, e como há mais detalhes na imagem à direita.

OnePlus Two - hands-on (14)

Tem mais: de alguma forma, a imagem do OnePlus 2 ocupa a metade do espaço que as fotos do modelo anterior. Esta é a foto do OnePlus One:

OnePlus Two - hands-on (16)

E abaixo, a foto do OnePlus 2. Ela precisa de um pouco mais de contraste, no entanto: as regiões mais escuras ficaram muito cinzentas.

OnePlus Two - hands-on (15)

Aqui estão algumas fotos que mostram como a gama dinâmica melhorou, provavelmente graças aos pixels maiores (de 1,3 mícron) no sensor da câmera. Basta ver como é possível ver mais detalhes nas regiões claras e escuras da imagem.

OnePlus Two - hands-on (17) OnePlus Two - hands-on (18)

Infelizmente, a câmera não possui controles manuais ou suporte a arquivos RAW, embora a OnePlus diga que ambos virão em uma atualização futura.

Usando

Apesar de parecer, este smartphone não roda Android 5.1 Lollipop puro: em vez disso, ele usa o OxygenOS, uma versão personalizada que permite alguns ajustes bacanas, como desenhar um símbolo na tela para ligar a lanterna mesmo quando ela estiver desligada, ou se conectar a uma nova rede Wi-Fi diretamente na bandeja de notificações.

OnePlus Two - hands-on (19)

O novo leitor de impressões digitais parece incrível: ele leu a ponta do meu dedo com rapidez, e aceitou minha digital a partir de qualquer ângulo. Os apps pareciam funcionar sem problemas, carregando rápido. E a bateria de 3.300mAh é ligeiramente maior, para compensar a tela mais brilhante e o novo processador.

A nova porta USB Type-C não será compatível com seus cabos microUSB, mas a OnePlus oferece um cabo reversível por apenas US$ 5, o que é bem barato.

OnePlus Two - hands-on (21)

Disponibilidade e preço

O OnePlus 2 estará disponível para venda em 11 de agosto. Será aquele velho esquema de convites: você precisará obter um deles para realizar a compra – e há mais de 500.000 pessoas na lista de espera. Também é possível obtê-los de quem comprar um OnePlus 2, ou através de concursos e promoções.

Inicialmente, você poderá comprar apenas o modelo com 64 GB de armazenamento e 4 GB de RAM, que custa US$ 389. A versão mais barata, com 16 GB de espaço e 3 GB de RAM, virá mais tarde. A OnePlus não entrega para o Brasil – só para esta lista de países – então é bom pedir um favorzinho para seu amigo no exterior.

[OnePlus 2]