Você gosta da Wikipédia? Você é fã das instituições de ensino mais ricas e famosas do mundo? Então você vai adorar o anúncio de emprego publicado pela universidade Harvard: eles estão contratando um “assistente temporário para editar a Wikipédia“, e pagam US$ 16/hora.

O que faz um assistente desses? Aliás, esse emprego é real? Sim: um “wikipedista em residência” é encarregado de editar a enciclopédia livre para instituições ou empresas.

Na verdade, esta profissão é descrita pela própria Wikipédia: “o objetivo é basicamente permitir que uma organização continue uma relação produtiva com a enciclopédia e sua comunidade após o fim da residência” – é quase o trabalho de um embaixador.

Muitas instituições já utilizaram esses serviços de wikipedista: o Museu de Arte Moderna de NY, a Biblioteca Real da Dinamarca, o Palácio de Versalhes, a revista Consumer Reports, o canal de TV alemão ZDF, entre outros. Para evitar conflitos de interesse, o wikipedista “não pode editar artigos diretamente relacionados com a organização”.

No caso de Harvard, trata-se de expandir a cobertura da Wikipédia sobre os livros raros da biblioteca da universidade. A descrição da vaga diz que o assistente vai “adicionar fontes em artigos existentes e criar novos artigos sobre tópicos notáveis”. Porém isso não é tudo: o assistente também fará upload de bastante conteúdo para ser usado em domínio público – Harvard tem uma das maiores bibliotecas do mundo.

Quanto à qualificação, “o candidato deve ser um wikipedista registrado em situação regular, com larga experiência em escrever e editar artigos da Wikipédia, e possuir conhecimento das normas, cultura e regras do site.” É preciso ter ensino superior completo.

Mas, assim como em outras instituições, o trabalho do assistente dura apenas por um tempo limitado: só 13 semanas. São US$ 16 (cerca de R$ 38) por hora, o que não parece muito; por sinal, a dotação financeira de Harvard está quase em US$ 33 bilhões. [Harvard via John Overholt]

Imagem via Wikipédia