O veredito sobre o iPod nano usado como relógio é quase unânime: ótimo na teoria (em alguns casos até fantástico), mas na prática a ideia sofre de um triste problema de execução pobre e um tanto tosca. No entanto, o inevitavelmente caro HD3 Slyde parece vencer a concorrência em todos os quesitos.

Mesmo sendo inevitável compará-lo com o iPod nano como relógio, o Slyde estava sendo desenvolvido antes do lançamento oficial da Apple em 2010. Suas curvas sinuosas e interface complexa foram criadas por Jorg Hysek Jr., filho de Jorg Hysek, famoso relojoeiro francês.

A tela atual é de LED, mas pode acabar tendo uma “variante de OLED” quando o projeto estiver completo, em setembro. A capa feita com cristais de safira é curvada para melhor conforto. O corpo, feito de titânio e à prova d’água (30 metros), tem opção preta ou prata. Não há nenhum tipo de botão físico, apenas um indicador de bateria na lateral. Os futuros compradores poderão enviar o aparelho de volta ao fabricante para atualizações no hardware. Ou poderão simplesmente conectá-lo ao computador via mini USB para fazer coisas do tipo:

Será possível comprar modelos de exibição de hora especiais para colocar no relógio. Poucos HD3 serão vendidos por ano. Eles querem ter certeza de que o produto seja bom, nada de milhares de pessoas usando relógios ruins. Mas os relógios não serão baratos. Alguns deles, inclusive, farão parte de edições limitadas. O preço para os relógios comuns será de U$50 a U$100. Já os especiais, claro, serão mais caros.

Deu para entender a ideia? Pelo preço e pela ideia de ser algo tão sofisticado? Os relógios de Hysek são conhecidos por duas marcas: exuberância de forma exagerada e preços nas alturas. Um modelo com tela sensível ao toque e molduras digitais substituíveis que custam U$100 sem dúvida continuarão com essa fama. [A Blog to Read via CrunchGear]