O New York Times chama Benjamin Clymer de “o sumo-sacerdote da relojoaria”. Ele é o editor executivo do site Hodinkee, para entusiastas de relógios de pulso, que está na lista de 50 melhores sites de 2013 da revista Time. Por isso, sua visão única sobre o Apple Watch é tão fascinante.

>>> [Hands-on] Apple Watch: um relógio inteligente com um grande potencial

Enquanto a maioria está comparando o Apple Watch aos seus concorrentes óbvios, como o Moto 360 e o LG G Watch R, Clymer examina como ele se destaca na indústria de relógios como um todo.

Ele nos dá suas primeiras impressões como um especialista em relógio, não apenas em gadgets. Este é um cara que está acostumado a usar regularmente relógios de US$ 10.000, e ainda assim ele ficou impressionado com o dispositivo de US$ 350 da Apple.

O motivo? “A Apple acertou mais detalhes em seu relógio de que a grande maioria das marcas suíças e asiáticas em relógios na mesma faixa de preço, e esses detalhes se somam em uma peça muito impressionante de design”, ele escreve. Mesmo assim, ele ainda não está certo de que o Apple Watch será um sucesso.

As impressões de Clymer se concentram, propositadamente, na parte externa: afinal, por mais que um relógio seja útil, ele não irá muito longe se não for bonito e agradável de usar. Eis as principais opiniões dele.

A Apple acertou no design:

O design do objeto – por exemplo, a maneira que a tela curva flui perfeitamente no corpo – é simplesmente lindo. Como Tim Cook disse durante a keynote, você mal pode dizer onde acaba o software e começa o hardware.

A Apple acertou na sensação de um relógio caro:

O design em geral do Apple Watch é simplesmente melhor do que qualquer outro relógio – digital ou analógico – na faixa dos US$ 350. Não há nada que se aproxime da fluidez, da atenção aos detalhes, ou da simples qualidade de construção encontrados no Apple Watch nessa faixa de preço.

A Apple acertou em oferecer o relógio em tamanhos diferentes:

O Apple Watch está disponível em 38 mm e 42 mm. Eu testei os dois, e ambos ficaram perfeitos no meu pulso… Qualquer homem, mulher ou criança poderia usar qualquer tamanho com facilidade. Isso pode não parecer muito, mas lembre-se este é o primeiro relógio da Apple, e seria um erro muito fácil fazê-lo muito grande ou muito pequeno.

A Apple respeitou a tradição:

Além disso, eles mantiveram a coroa [o botão giratório na lateral]. Sim, ela virou uma “coroa digital” no Apple Watch, mas para uma empresa fundada por um homem conhecido por sua aversão a botões e disjuntores, é notável que eles mantiveram o centro de controle original da relojoaria.

Divulgação

Eles sabem o que é uma pulseira de malha milanesa (imagem acima):

É notável o fato de a Apple ainda saber o que é isso. Eu prometo a você que nenhuma outra empresa de tecnologia no mundo gastaria tempo fazendo essa opção reconhecidamente ultrapassada. Mas eu absolutamente amo essa pulseira porque ela é muito confortável, e muito diferente de uma pulseira tradicional… Eu, na verdade, uso uma pulseira com estilo milanês… e recebo mais elogios sobre ela do que qualquer outro relógio por causa da pulseira.

Mesmo assim, falta apelo emocional ao Apple Watch:

Mas milhões de pessoas nunca trocariam um Rolex por um Apple, devido à emoção provocada por nossos relógios – o fato de que eles são tão atemporais, tão duradouros, tão pessoais. Nada digital, não importa se projetado por Jony Ive (ou Marc Newson), poderia substituir isso… Meus relógios vão durar por gerações; o Apple Watch vai durar cinco anos se eu tiver muita sorte.

E relógios de pulso inteligentes podem não ser algo relevante:

Mas estamos certos de que a tecnologia vestível é algo que realmente queremos? Havia quem usasse fones de ouvido Bluetooth publicamente há cinco anos, e há aqueles que usam o Google Glass. Relógios inteligentes vão se tornar algo que as pessoas genuinamente querem?

Estou ansioso por uma análise detalhada de Clymer sobre outros smartwatches, como o Moto 360. Ele diz mais coisas de que gosta – e não gosta – sobre o Apple Watch no texto completo, que você pode conferir aqui: [Hodinkee]