O Telescópio Espacial Hubble não descansou durante a comemoração dos seus 30 anos. Em vez disso, ele observou o cometa C/2019 Y4 (ATLAS) se fragmentar em pelo menos 30 pedaços.

Em dezembro do ano passado, o Sistema de Alerta de Impacto Terrestre de Asteróide descobriu esse cometa, e os astrônomos logo perceberam que ele poderia dar um espetáculo que não era visto há décadas. Seria o cometa mais brilhante desde o Hale-Bopp, em 1997. Mas o cometa começou a se desfazer em pedaços ao se aproximar da Terra, então teremos que nos contentar em curtir essas imagens do Hubble.



Os astrônomos calcularam que o C/2019 Y4 tinha uma órbita de 6.000 anos. Se ele não tivesse se despedaçado, teria sido visível a olho nu por pouco tempo.

Em março, ele brilhou muito mais rápido do que os cientistas esperavam, pois foi para perto do Sol, liberando elementos voláteis com pontos de ebulição baixos, à medida que aqueceu.

Em 6 de abril, astrônomos encontraram evidências de que o cometa havia parado repentinamente de produzir poeira, e outra equipe confirmou que ele havia se partido em vários pedaços entre 11 e 12 de abril.

Não conseguimos ver esses eventos, mas Hubble fez essa pra gente. Duas equipes de astrônomos, uma liderada por David Jewitt, da Universidade da Califórnia em Los Angeles, e a outra por Quanzhi Ye, da Universidade de Maryland, conseguiram capturar a fragmentação em imagens tiradas pelo Hubble nos dias 20 e 23 de abril.

Os astrônomos não têm certeza absoluta sobre a causa desses eventos de fragmentação. Talvez seja devido à força dos gases emitidos, que faz com que o núcleo do cometa gire e se quebre.

Jewitt disse que uma análise mais detalhada dos dados poderia possivelmente confirmar ou descartar se foi essa desgaseificação que causou a quebra do cometa. As imagens estão em resolução incrivelmente alta, capturando fragmentos até o tamanho de uma casa.

Atualmente, o cometa está passando por Marte e chegará mais perto da Terra no dia 23 de maio. É uma pena que não vamos conseguir ver um show incrível com um cometa brilhante, mas talvez ainda consigamos algumas imagens legais de telescópio como prêmio de consolação.