Em um artigo publicado no início da semana, pesquisadores da IBM mostraram enormes avanços no mapeamento da arquitetura do cérebro, traçando três vezes mais ligações do que qualquer outro estudo. Para onde esse mapa nos leva? Para o futuro da computação cognitiva.

Especificamente, o estudo traçou as conexões de longa distância no cérebro de um macaco, as chamadas “rodovias interestatudais”, que transmitem informações entre áreas distantes do cérebro. Segundo um dos pesquisadores:

Agora podemos ter uma visão sem precedentes sobre a forma como a informação viaja e é processada através do cérebro… um salto tanto para pesquisas fundamentais e aplicadas em neurociência e computação cognitiva.

O mapa mostra 6.602 conexões de longa distância entre 383 regiões diferentes do cérebro, permitindo que os pesquisadores entendam melhor do que nunca como e para onde o cérebro manda as informações.

Tais informações permitirão que os cientistas criem análises teóricas mais precisas – usando o mesmo tipo de projeções que otimiza os sistemas de buscas ou buscas em redes sociais – que serão essenciais na criação de chips de computadores que possam guardar mais informações sobre o imenso poder computacional que nosso cérebro tem e navegar em sua complexa arquitetura.

E, claro, é fantástico perceber que todo esse trabalho está sendo feito para mapear a vasta e misteriosa região que está dentro da sua cabeça nesse exato segundo. [KurzweilAl]