Certas partes dos EUA entraram em decadência. Lugares destinados a trazer felicidade estão agora apodrecendo silenciosamente, sendo tragados pelo mato. Seph Lawless, um artista e cronista das ruínas, visitou recentemente vários destes parques de diversão abandonados e voltou com algumas fotos bem assustadoras. Nós fizemos uma galeria com as melhores.

Ao longo dos anos, vimos muitas imagens da ruína americana — tantas que o gênero está se tornando um clichê. Você sabe. Todo mundo fugiu de Detroit, e a uma vez pujante metrópole agora está despedaçada. Antigos estádios se tornaram pilhas de lixo, locais históricos estão sendo perdidos para a maluquice da especulação imobiliária. Isso para não falar dos shopping centers abandonados.

1300037852177646153

 

No entanto, as fotos tiradas por Lawless contam esta história de um jeito único e tocante. Seu trabalho não é apenas encarar lugares de prédios decadentes, mas se engajar e lutar para capturar o contexto do crescimento e queda dos EUA. Por isso, ele não visitou apenas um parque de diversões abandonado para seu último livro, Bizarro. Nas palavras do próprio artista, “Este projeto escancara o declínio econômico da América que dilacera o coração e a alma de nosso país.”

1300037852247740489

Para fazer Bizarro, Lawless mapeou o maior número de parques que conseguiu encontrar nos EUA e até mesmo viajou para fora do país para ter outro ponto de vista. A história contada pelas fotos não é apenas de abandono, mas sim uma crônica de desastre e renascimento.

Lawless também escolheu a hora das sessões de fotos de maneira bastante deliberada. “Eu escolhi fotografar durante o pôr-do-sol ou durante tempestades de relâmpagos porque eu queria fazer alguma coisa realmente especial neste projeto”, diz Lawless ao Gizmodo. “Eu achei que era um bom jeito de trazer de fato aquele sentimento sinistro de local abandonado era tirar fotos durante o pôr-do-sol e durante tempestades de relâmpagos.”

Lawless esperava colocar a condição americana em perspectiva ao visitar o Spreepark, o famoso parque temático abandonado no meio de Berlim. O artista conta que foi preso por fotografar as ruínas. Enquanto era arrastado pela polícia, ele conseguiu tirar uma última foto da dilapidada roda gigante do Spreepark.

Quando estava sendo algemado, Lawless conta que o policial continuava gritando, “Americanos são arrogantes!” Talvez seja este o ponto.

Todas as imagens por Seph Lawless


Seph Lawless é o pseudônimo de um artista e ativista americano. Seu primeiro livro, Autopsy of America, de 2013, registrava a devastação da globalização nas cidades americanas, e ele continua explorando esta temática. O site pessoal dele pode ser encontrado neste link. Você pode curtir sua página no Facebook aqui, segui-lo no Instagram aqui, e segui-lo no Twitter aqui.