As primeiras imagens tiradas próximas de Júpiter feitas pela espaçonave Juno, da NASA, finalmente foram disponibilizadas — e o gigante de gás está quase irreconhecível.

A sonda Juno capturou sua primeira foto desde a chegada à Júpiter
Como foi a chegada da sonda Juno em Júpiter



“Primeiro olhar do polo norte de Júpiter, e não parece com nada do que já vimos ou imaginamos antes”, disse Scott Bolton, investigador chefe da missão Juno, em um comunicado sobre as fotos captadas pela espaçonave, que partiu rumo ao espaço em 4 de julho para orbitar Júpiter. “O maior planeta de nosso sistema solar é realmente único.”

As imagens impressionantes desta bola turbulenta de gás foi captada em 27 de agosto, enquanto a Juno executava a primeira das 36 passagens pela órbita do planeta — a espaçonave passou apenas a 4.000 km de distância das nuvens de Júpiter. Levou um dia e meio para os 6 MB de dados serem baixados, e eles ainda estão sendo analisados e interpretados pela equipe da missão Juno. As últimas imagens podem ser encontradas aqui.

jupiter-juno

Imagem: NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS

Entre as grandes surpresas, por enquanto, estão o fato de que o polo norte não parece contar com cinturões e bandas de nuvem que são facilmente visíveis a latitudes médias. Em vez disso, a imagem acima revela uma espécie de enxame de ciclones. O primeiro sobrevoo de Juno pela órbita também capturou uma fogosa aurora do planeta, que não é visível da Terra, além de algumas emissões de auroras de rádio, que são um pesadelo para o fluxo de combustível da nave:

Outra surpresa da equipe da missão Juno foi também algo que eles nunca viram.

“Saturno tem um hexágono no polo norte”, disse Bolton. “Não há nada em Júpiter que se parece com algo com o qual podemos relacionar.”

Estas são só as primeiras descobertas deste planeta estranho e feroz que a Juno analisará nos próximos um ano e meio. Devem vir muito mais novidades por aí.

[NASA]

Foto do topo: Aurora austral de Júpiter nunca antes vistas. Imagem por NASA/JPL-Caltech/SwRI/ASI/INAF/JIRAM