Impressoras vieram para infernizar nossas vidas, já disse o Oatmeal. E ele está certo: parece que poucas tecnologias evoluíram tão pouco quanto a jato de tinta. Agora ela tenta se redimir: cientistas desenvolveram uma técnica que usa uma impressora jato de tinta para criar lasers. Isto poderia levar a um futuro cheio de telas e superfícies inteligentes movidas a laser.

Uma equipe de cientistas da Universidade Cambridge usou cristais líquidos, em vez de tinta, para imprimir pequenos pontos em uma superfície com revestimento especial. Depois que ela seca, os pontos viram lasers.



Mas como é que isso funciona? Bem, os pesquisadores já sabiam que cristais líquidos – os mesmos presentes no LCD onde você provavelmente está lendo isto – pode ser utilizado para criar lasers, mas somente se os cristais forem forçados a se alinhar corretamente. Em geral, isto significa deixar o cristal líquido entre duas placas de vidro, revestidas em moléculas que forçam os cristais a se alinhar.

Em vez disso, os pesquisadores de Cambridge usaram impressoras jato de tinta para depositar cuidadosamente os mesmos cristais em uma superfície revestida com uma solução de polímero, semelhante à cola branca escolar. Incrivelmente, isso é o bastante para alinhar os cristais da mesma forma que abordagens anteriores. A descoberta foi publicada no periódico Soft Matter.

O resultado são grandes lâminas cobertas em pequenos pontos que atuam como lasers. “É possível produzir centenas de milhares de pequenos lasers de uma só vez, usando uma tecnologia não muito diferente de imprimir cartas e fotos de férias em casa”, disse Damian Gardiner, um dos pesquisadores, à BBC.

Para o futuro, isso significa que ver superfícies inteiras cobertas de minúsculos pontos laser, e de forma relativamente barata: seja para uso em iluminação, telas enormes ou até mesmo um papel de parede que interaja com dispositivos eletrônicos. Se isso será mesmo realidade? É esperar para ver. [Soft Matter via BBC]

Imagem por Shawn Nystrand/Flickr