Cientistas vêm estudando as origens do gosto musical há anos. Algumas evidências já foram encontradas falando em influências biológicas, como a ideia de que nosso gosto muda com o passar do tempo. Agora um novo estudo publicado na Nature descobriu que seu gosto musical também pode ser devido à composição das músicas predominantes na sua cultura.

Uma equipe de pesquisadores de diversas universidades, incluindo o MIT e a Universidade Brandeis, conduziu dois estudos em 2011 e 2015. Eles perguntaram aos participantes o quanto achavam agradáveis tanto acordes dissonantes quanto consonantes. Alguns dos participantes eram dos EUA, mas a maioria vinha da tribo Tsimane, na Amazônia, com pouca exposição à cultura ocidental. Um grupo de bolivianos que vive próximo aos Tsimanes também participou do estudo, assim como moradores da capital da Bolívia, La Paz.



Na cultura ocidental, sons consonantes são normalmente descritos como agradáveis, enquanto os dissonantes são tensos. De acordo com um editorial na Nature, acordes dissonantes são “os isótopos instáveis da música ocidental”, e frequentemente soam como algo que deveria ser revertido em outra coisa mais estável.

Confira a diferença por conta própria:

Pessoas nas culturas ocidentais, ou com exposição a essas culturas, normalmente são repelidas pelos acordes dissonantes, que normalmente são usados em músicas para efeitos emocionais. Segundo a teoria da música, como os acordes soam para uma pessoa acaba influenciando outros fatores psicológicos, incluindo o temperamento.

No entanto, os pesquisadores descobriram que os Tsimane consideravam os tons dissonantes e consonantes igualmente agradáveis. E os participantes bolivianos expressaram afeto aos sons consonantes, apesar da disparidade não ser tão grande quando para as pessoas dos EUA.

“O estudo sugere que a preferência por consonância em vez de dissonância depende da exposição à cultura musical ocidental, e que a preferência não é inata,” disse Josh McDermott, um professor do MIT que liderou o estudo.

Em relação ao motivo, os pesquisadores têm uma teoria relacionada à composição musical de cada cultura. A música Tsimane não faz uso de harmonia, diferentemente das culturas ocidentais em geral. Em vez de acordes, eles estão mais acostumados com uma nota sendo tocada por vez. Tudo isso sugere que a cultura tem papel importante na forma como nosso gosto musical é moldado.

[Ars Technica, MIT News]

Foto: Alan Schultz via MIT