Se você pensou que a linha de processadores Atom estava morta, pense bem: a empresa está lançado uma nova versão da pecinha de silício, chamada Rosepoint. E não olhe com cara de nojinho sem ler do que se trata, porque esse lance de processadores móveis tem cara de ser o futuro.

A Wired conta que a nova linha deve trazer reduções sensíveis de preço, tamanho e energia gasta para smartphones, laptops e tablets com processadores Intel. A parte mais interessante, talvez, seja que o processador já tem Wi-Fi embutido como parte de seu chip digital. Chips atuais de Wi-Fi tendem a ser analógicos, e versões digitais, em tese, serão mais baratos e facilitarão a distribuição. Justin Rattner, gerente técnico da Intel, disse à Wired que um chip digital de Wi-Fi deve sequenciar a Lei de Moore e é “uma obra prima quando o assunto é eficiência de energia”.

Apesar de a Intel anunciar o chip nesta semana em San Francisco, ele não estará disponível para comercialização por pelo menos dois anos. Levando em consideração que ele suporta apenas 2.4GHz e Wi-Fi, isso é bem estranho — mas aparentemente versões com dados celulares e antenas de rádio embutidas estão sendo desenvolvidas. [Wired]