Diversos jornais espanhóis, entre eles o El País, afirmam que John McAfee, criador do famoso antivírus que leva seu sobrenome, foi encontrado morto nesta quarta-feira (23) em uma cela na cidade de Barcelona. O executivo de 75 anos estava preso. Ainda na terça (22), a Suprema Corte da Espanha autorizou a extradição de McAfee para os Estados Unidos, onde ele passaria por julgamento por infrações fiscais.

Os veículos de comunicação dizem que ouviram fontes policiais que confirmaram a morte do empresário. Há alguns minutos, o Departamento de Justiça da Catalunha reforçou a informação à agência Reuters. Ainda não se sabe a causa da morte, porém autoridades trabalham com a hipótese de suicídio.

McAfee foi detido no aeroporto de Barcelona ao tentar embarcar em um voo para a Turquia, em outubro de 2020. Ele foi acusado de sonegar milhões de dólares em impostos e ocultar cerca de US$ 4,2 milhões de sua renda, que também incluía bens imobiliários e um iate. O empresário também foi acusado pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA de ocultar US$ 23 milhões em renda com criptomoedas — uma das áreas que McAfee passou a investir recentemente.

A justiça norte-americana ainda disse que McAfee não declarou corretamente suas receitas entre os anos de 2014 e 2018, quando faturou cerca de US$ 10 milhões com investimentos em criptomeodas e a realização de palestras. Pelo crime de sonegação fiscal, o executivo poderia pegar até 26 anos de cadeia ao ser extraditado para os EUA.

Assine a newsletter do Gizmodo

Pioneiro na indústria de tecnologia nos Estados Unidos, John McAfee fez sua fama e fortuna com a criação do antivírus McAfee, que vinha (e ainda vem) pré-instalado em milhares de computadores. No entanto, com o número de adeptos ao serviço caindo ano a ano, o executivo partiu para outros mercados, entre eles o das criptomoedas, além de consultorias. Ele também chegou a vender direitos autorais para a produção de um documentário sobre sua vida.

Nos últimos meses, McAfee mantinha uma conta no Twitter aonde relatava seus dias na prisão em Barcelona. Sua última mensagem autoral, de 18 de junho, ele falou sobre democracia e poder. “Em uma democracia, o poder é dado, e não retirado. Mas ainda assim é poder. Amor, compaixão, cuidado não têm serventia para ele. Mas é combustível para ganância, hostilidade, ciúme… Todo poder corrompe. Cuidado com quais poderes você permite a uma democracia utilizar”, disse.

A última interação do executivo na rede social foi um retweet da atual esposa, Janice McAfee, em que ela escreveu uma carta parabenizando McAfee pelo Dia dos Pais, além de pedir a liberdade do empresário.

[El País, Reuters]