Em novembro, a Jolla – empresa criada por ex-funcionários da Nokia – anunciou seu primeiro tablet com uma nova encarnação do MeeGo, totalmente baseada em gestos. Ele está de volta em uma versão melhorada, custando US$ 249.

O novo Jolla Tablet é bem semelhante ao que vimos antes: possui tela IPS de 7,85 polegadas e 2048 x 1536 pixels. Por dentro, temos um processador Intel Atom quad-core de 64 bits e 2 GB de RAM. Há duas câmeras: traseira de 5 megapixels e frontal de 2 MP.

Mas agora, ele conta com 64 GB de armazenamento interno, expansível via microSD. Há um detalhe aí: o tablet tem suporte a cartões de até 128 GB, mas “devido a limitações de licenciamento da Microsoft, cartões com mais de 32GB não serão diretamente compatíveis com computadores com Windows”, porque a Jolla não licenciou o formato de sistema de arquivos exFAT da Microsoft.

Isto é, se você usar o microSD no tablet, não poderá retirá-lo e inserir em um laptop com Windows; será preciso conectar o tablet ao laptop via USB. O cartão funcionará normalmente no Linux.

O Jolla Tablet com 64 GB também traz uma bateria levemente maior de 4.450 mAh, mas ainda assim inferior aos 5.300 mAh no Nokia N1. Há também giroscópio e bússola.

Ele roda Sailfish OS 2.0, com uma interface que não depende de botões – e sim de gestos. Por exemplo, você abre o menu de um app deslizando o dedo de cima para baixo, e minimiza apps deslizando a partir da borda direita. O sistema também roda apps de Android, e você pode usar lojas alternativas como a Amazon Appstore.

O Jolla Tablet está sendo vendido através do Indiegogo por US$ 249, disponível apenas para quem mora nos EUA, Canadá, União Europeia, Noruega, Suíça, Rússia, Índia, China, Hong Kong e Austrália. [Jolla Blog via The Verge]

Jolla Tablet (2)