Embora tenha o nome do deus romano equivalente a Zeus, o planeta Júpiter parece um lar mais adequado a Hades em uma imagem infravermelha (abaixo) capturada pelo telescópio Gemini North do Observatório Gemini de Mauna Kea. Enquanto isso, o Telescópio Espacial Hubble produziu uma bela visão ultravioleta do planeta. Essas imagens contrastantes são um lembrete de que o espectro visível conta apenas parte da história quando se trata de objetos no espaço sideral.

Tiradas em janeiro de 2017, as três imagens capturam Júpiter em três luzes diferentes: infravermelho, visível e ultravioleta. Elas destacam detalhes atmosféricos do maior planeta em nosso sistema solar, oferecendo insights sobre a formação de tempestades com raios e revelando lacunas através das quais os pesquisadores podem examinar mais profundamente os recessos gasosos do planeta. Marcas de pústulas são visíveis na icônica Grande Mancha Vermelha do planeta e permanecem um pouco misteriosas — talvez sejam redemoinhos gasosos, conforme descrito em um post recente do NOIRLab.

Visto em comprimentos de onda infravermelhos, o gigante gasoso parece um mundo infernal. Imagem: Observatório Internacional Gemini/NOIRLab/NSF/AURA/NASA/ESA, MH Wong e I. de Pater (UC Berkeley) et al.

A imagem da luz visível é sem dúvida familiar, um redemoinho leitoso de tons brancos, laranjas e círculos avermelhados foscos. Essa imagem nos mostra áreas de interesse mais comuns, como as supertempestades e os pontos quentes do planeta, em cores vivas graças ao coquetel químico único que constitui a atmosfera externa do planeta. Mas na imagem infravermelha, a Grande Mancha Vermelha torna-se uma mancha preta, as nuvens brancas tornam-se escuras e suas camadas de gás normalmente vermelho-escuras tornam-se faixas de fogo. A imagem final foi tirada no espectro ultravioleta e lembra o tipo de planeta que você veria em papéis de parede.

Assine a newsletter do Gizmodo

Ver as diferentes camadas de nuvens do planeta em resolução mais precisa é uma vantagem para os cientistas planetários e, para o observador casual, é algo impressionante aos nossos olhos.