Quando a atriz Kirsten Dunst apareceu em Akihabara, Tóquio, com um vestidinho de marinheira cheio de babados, algumas pessoas acharam que ela estava virando japonesa. E acertaram.

O cosplaying de Dunst foi parte de uma colaboração entre McG, o diretor de “O Exterminador do Futuro: a Salvação” e “As Panteras”, e Takashi Murakami, o mais famoso artista japonês vivo.



Murakami fez carreira pegando elementos da cultura otaku e transformando-os em arte. Seja com a Louis Vuitton ou Kayne West, suas colaborações tornaram-se muito populares nos últimos anos – mas essa é o primeiro trabalho com um diretor de Hollywood.

Vestida com uma roupinha de marinheira estilo anime, Dunst, que é fã de “Sailor Moon”, passeia saltitante por Akiba cantando o hit new wave de 1980 “Turning Japanese” (virando japonês), dos Vapors. O vídeo, exibido durante a mostra “Pop Life” na Tate Modern, no ano passado, conta com aparições de Murakami e do designer Nigo, da marca de roupas A Bathing Ape (Bape).

No verão japonês de 2009, eu fui ao estúdio Kaikai Kiki, de Murakami, entrevistar um de seus artistas para um livro que estou escrevendo, e sua equipe estava se preparando para fazer essas gravações. Parece que tudo deu certo.

[Imagem; Imagem]