Na cidade de Xichang, localizada na província de Sichuan, no sudoeste da China, existe uma enorme fazenda de criação de baratas equipada com inteligência artificial que está produzindo mais de seis bilhões de baratas por ano.

A instalação, que é descrita pelo South China Morning Post como um edifício de vários andares do tamanho de dois campos de futebol, está sendo operada pela fabricante de remédios Gooddoctor Pharmaceutical Group, de Chengdu. Sua existência levanta uma série de questões como: “Meu deus, por quê?” e “Quem pediu essa monstruosidade?”

• Em 2013, um milhão de baratas escaparam de uma fazenda chinesa
• A era da super gonorreia chegou

No local, o ambiente é descrito como “quente, úmido e escuro” durante todo o ano. Ele é bastante aberto, permitindo às baratas perambularem livremente, encontrar comida e água e se reproduzir quando e onde desejarem.

O poço sexual de insetos é administrado pelo que o South China Morning Post descreve como “um sistema de manufatura inteligente”, controlado principalmente por algoritmos. O sistema é responsável por analisar mais de 80 categorias de dados coletados em toda a instalação. Tudo, da temperatura ao nível de consumo de comida, é monitorado pela inteligência artificial, que é programada para aprender a partir de dados históricos para determinar as melhores condições para o ápice da reprodução entre baratas.

Os bilhões de baratas que passam pela instalação a cada ano nunca veem a luz do dia. Desde o nascimento dentro do prédio até sua morte, meses ou anos depois, elas ficam presas entre as paredes da úmida cabana de coito.

Cada um dos insetos uma hora é jogado nas máquinas e esmagado para ser usado como uma “poção de cura” fabricada pela empresa farmacêutica responsável pelo prédio.

A poção — descrita como um líquido com cor de chá, um gosto levemente doce e um cheiro semelhante ao de peixe — é vendida em duas garrafas de 100ml por US$ 8. Embora seja principalmente usada como remédio para problemas de estômago, o remédio pode ser prescrito por médicos para quase tudo.

Poção feita a partir das baratas (Imagem: South China Morning Post)

O South China Morning Post noticiou que aproximadamente 40 milhões de pacientes na China usam a tal poção. Ela já foi vendida para mais de quatro mil hospitais no país e é entregue como uma cura para tudo, de problemas gástricos a respiratórios, além de como uma solução para um monte de outras doenças.

O governo chinês propagandeia o poder de cura das baratas há anos, chegando a financiar uma série de estudos nacionais projetados para determinar os efeitos dos insetos na saúde por meio de trabalhos laboratoriais e testes clínicos. Liu Yusheng, professor na Universidade Agricultural de Shandong e chefe da Associação de Insetos da província, disse ao Telegraph que as baratas são “realmente uma droga miraculosa”.

Embora possa haver uma cura mágica a ser espremida das baratas, a ideia desses insetos escapando vivos da instalação teria efeitos devastadores na comunidade e no meio ambiente. O professor Zhu Chaodong, cientista chefe em estudos de evolução dos insetos no Instituto de Zoologia na Academia Chinesa de Ciências, disse ao South China Morning Post que seria uma “catástrofe” se bilhões de baratas de repente fossem soltas na natureza, seja como resultado de um erro humano ou de um desastre natural causando danos ao prédio.

Durmam bem, moradores de Xichang!

[South China Morning Post via CNET]

Imagem do topo: Reprodução/CBS