Aqui vai outra razão para você desligar o recurso de geolocalização de seu smartphone: a polícia diz que um suspeito foi preso na Califórnia na última semana por usar a geolocalização de posts do Instagram e do Facebook para monitorar vítimas e, na sequência, roubar suas calcinhas.

arturogalvanArturo Galvan, 44, foi preso sob a suspeita de ter roubado pelo menos seis itens na quinta-feira da semana passada (3). “Ele parecia fixado em mulheres universitárias”, disse Andrew Goodrich, do departamento de policia de Fullerton. Apesar de Galvan também ter supostamente roubado eletrônicos, a policia diz que as ações dele tem um componente sexual — especificamente, com calcinhas, sutiãs, fotos, joias, além de TVs e iPads.

Os responsáveis pela investigação dos crimes acreditam que Galvan usava as redes sociais para saber onde suas vítimas viviam, baseado na geolocalização que elas deixavam nas publicações. Ele também usava aplicativos de busca localizada para planejar quais calcinhas ele queria, de acordo com o Los Angeles Times:

Investigadores informaram que Galvan identificava suas vítimas ao andar em locais públicos em Fullerton e Orange, e procurando posts em redes sociais baseado onde essas pessoas estiveram ou tenham deixado quaisquer pistas de suas localizações, segundo a sargento Kathryn Hamel.

Caso você não queira que suas fotos tenham dados detalhados de sua localização, é possível desativar a opção de geolocalização no Android e no iOS. No aplicativo padrão de fotos do Android, arraste para esquerda, escola a opção configurações e desative a função Salvar localização. Já no iOS, vá em Ajustes > Privacidade > Serviços de localização. Vá até o item Câmera e desative a opção.

[FullertonPD | LATimes via Petapixel]

Imagens: Flickr e Polícia de Fullerton.