Uma designer de apenas 26 anos de idade chamada Keikko Lee venceu o primeiro concurso internacional de design da Coréia do Sul graças ao seu projeto de iluminação de interiores. O conceito dela envolve uma espécie de “lâmpada” fina como papel com material eletroluminescente de um lado e painéis solares e sensores do outro. O material pode afixar-se a qualquer lugar – desde uma janela onde ele poderia captar a luz do Sol até uma parede onde poderia iluminar um corredor.

À primeira vista a invenção não parece tão revolucionária assim (me lembra aquelas estrelinhas que colamos no teto e brilham no escuro), mas dá pra imaginar como transportar uma fonte mais sólida de luz de tamanho tão diminuto pra lá e pra cá tenha uma enorme vantagem sobre produtos semelhantes e mais tradicionais. Vamos ver se as lâmpadas adesivas vão mesmo chegar ao estágio de produção. [SCMP e EarthTimes via Treehugger]