Ano passado, a Apple aumentou de forma absurda os preços do iPhone no Brasil. Como estavam as filas no lançamento? Enormes. Até caóticas. Cerca de um ano depois, a Apple traz o iPhone 5 a preços também altos… e as filas também se repetiram.

Acompanhamos os eventos de lançamento do iPhone 5 nas lojas da Vivo e Claro no Shopping Morumbi, e na loja da TIM no Shopping Eldorado, todas em São Paulo – e todas com muita gente esperando pelo novo aparelho.

A Vivo preparou um grande lançamento para a sua loja no Shopping Morumbi, e conseguiu juntar bastante gente. Eram cerca de 200 pessoas esperando para colocar as mãos em um iPhone por volta das 23h – uma hora antes da previsão para o início das vendas. À meia-noite, começaram as vendas.

Dante era o primeiro da fila. Ele chegou por volta das 20h – sim, a fila da Vivo se formou bem tarde e ainda assim era bem grande – e só saiu depois da 1h. A demora para o rapaz conseguir pegar o aparelho é explicada pela forma como a Vivo organizou a venda do iPhone 5.

Não era apenas chegar, pagar e levar: antes de vender para clientes “comuns”, a Vivo preparou uma lista de convidados especiais – pessoas que se cadastraram para receber informações sobre o smartphone e algumas celebridades, como os integrantes da banda Ultraje a Rigor. Essas pessoas entravam na loja antes de quem estava na fila e conseguiam colocar as mãos no smartphone mais cedo – além de ganhar espumantes, refrigerantes e petiscos.

Enquanto isso, do lado de fora, funcionários juntavam dados necessários para realizar a venda para quem estava na fila. Mesmo assim, as pessoas pagavam, mas ainda tinham que esperar um tempo considerável até conseguir pegar o aparelho e ir para casa. Dante, o primeiro da fila, pagou pelo aparelho antes da 0h30, mas só por volta da 1h que ele colocou as mãos no iPhone 5.

O movimento na parte de fora da loja ainda era bem grande à 1h, e a fila só ia acabar muito tempo depois – não ficamos para ver até que horas ela ia.

Hoje de manhã voltamos à loja da Vivo e encontramos de novo o Dante, que comprou o primeiro iPhone 5 na loja. Ele foi trocar o aparelho porque a carcaça veio riscada.

Se os preços do iPhone 5 já pareciam salgados, a Vivo conseguiu superar. O modelo mais básico do iPhone 5 com 16 GB em um plano pré-pago sai por R$ 2.499. O de 32 GB custa R$ 2.799 e o de 64GB 3.099. Três mil e cem reais por um iPhone 5 com 64 GB. É isso mesmo. Mas você pode conseguir descontos dependendo do plano contratado. Ainda assim, o valor mais baixo que vai pagar pelo aparelho de 16 GB será R$ 1.449, ou R$ 1.749 pelo de 32 GB e R$ 2.049 pelo de 64 GB. A Vivo é a que cobra mais pelo smartphone.

No mesmo shopping, um andar abaixo, a Claro também tinha uma loja aberta com pessoas esperando pelo iPhone 5. Não deu para calcular quantas pessoas eram – elas estavam dentro da loja, e não em uma fila fora dela. Tinha gente até sentada. Mas era uma quantidade considerável.

As vendas começaram à 0h01. O primeiro cliente estava com o iPhone 5 em mãos por volta da 0h10 – não conversamos diretamente com ele, mas, pelo que ficamos sabendo, ele chegou por volta das 11h (da manhã!) na loja e ficou pouco mais de 13 horas esperando para ter o aparelho.

Algum tempo depois, a loja da Claro já tinha um movimento bem menor, e parecia estar melhor organizada.

A alguns quilômetros dali, cerca de 300 pessoas estavam na fila para comprar o aparelho na loja da Tim no Shopping Eldorado e ainda receber R$400 de desconto. Quem passava perto da loja da operadora podia pensar que não era tanta gente. Doce engano: de fato, eram cerca de cinquenta pessoas na frente da loja… mas a fila continuava, escondida, pelas escadas de emergência, e terminava no térreo.

Só por volta das 23h, horário em que o shopping foi fechado, é que o pessoal da Tim mandou todo mundo subir e formou a fila no andar. Curiosamente, ela acabava perto de uma loja da Oi, onde aconteceu algo meio bizarro: um vendedor tentava convencer os clientes da concorrente a comprarem em sua loja.

As vendas começaram depois da meia-noite, quando houve um sorteio de um iPad 3 e um iPhone 5 entre as pessoas da fila. Só convidados puderam comprar antes – assim como Silas Piacenti, o primeiro a chegar. Ele chegou à loja às 7h30 da manhã, mas diz que não pretendia ser o primeiro: ele pegou uma carona para não precisar ir de ônibus mais tarde e, sem querer, acabou chegando antes de todo mundo.

Entre os que esperavam, tinha desde gente que tinha iPad e iPod Touch e estava para comprar seu terceiro iPhone, como era o caso de Felipe Marcelo, 21, até quem não tinha produto algum da Apple, como Vinícius Lima, 17. As principais críticas eram aos preços, considerados absurdos por muitos – talvez o desconto de R$400 os tenha levado até lá.

Silas, o primeiro da fila, também criticava a assistência técnica: tinha um iPhone 4S, que deu problema e não foi consertado no prazo. Ele precisou entrar na justiça para conseguir o dinheiro do aparelho de volta. E mesmo assim, ia comprar mais um iPhone? “Nenhum aparelho é perfeito”, diz ele.

Já os elogios vinham de toda parte: Vitor Caires, 18, que possui um Galaxy S3 e estava na fila para comprar um aparelho para o patrão, considera o iOS imbatível. As atualizações constantes do sistema também foram elogiadas por Jefferson Eduardo de Souza, 34, dono de um iPhone 3G. Ele criticou o modelo de atualizações do Android, que depende dos fabricantes para o lançamento de novas versões, pela demora e dificuldade. Já Thiago Naressi, 23, dono de um iPhone 4, diz que o que mais o chamou a atenção no novo modelo foi a velocidade.

Lá dentro, quinze mesas faziam o atendimento das vendas. O procedimento todo levava mais de meia hora. Aparentemente, a fila (mais uma!) do caixa era o “gargalo” das vendas, onde os clientes esperavam mais um pouco para, enfim, poder sair com seu novíssimo smartphone.

Mas, claro, não era uma noite comum de vendas: havia música e comes e bebes, como champanhe e canapés, entre outros mimos, para os clientes e convidados, incluindo aí famosos como a miss Natália Guimarães e o humorista Marcelo Adnet.

Por volta de 1h da manhã, ainda restavam cerca de 200 clientes na fila, número bem maior que as concorrentes: cerca de dez pessoas na Claro e na Oi e por volta de 20 na Vivo.

Faltando uma hora para o começo das vendas do iPhone 5, bastante gente estava na frente da loja da Vivo

 

Neste momento, a loja ainda se preparava para começar a vender o iPhone 5. Funcionários preparam um painel especial para divulgar a venda do iPhone 5

 

Dentro da loja da Vivo, comidas e bebidas eram distribuídas enquanto consumidores compravam o aparelho

 

Na Claro do Shopping Morumbi, havia bastante gente esperando pelo iPhone 5. Mas por volta da 1h, o movimento na loja da Claro já era baixo

 

No Shopping Eldorado, a fila para comprar o iPhone 5 na TIM começava no terceiro andar, mas continuava pelas escadas de emergência…

 

…e terminava dois andares abaixo.