Segundo o Estadão, a lei estadual exige desconto de 50% nas tarifas de telefone celular “aos cidadãos portadores de distúrbios na fluência e temporalização da fala”. Em outras palavras, um gago não merece pagar muito mais do que uma pessoa sem problema de fluência só porque ele tem dificuldades de comunicação.

O povo do setor de telefonia apelidou a legislação de “lei do gago”. E as operadoras questionam a Justiça, alegando ser difícil fiscalizar quem merece tal benefício. Segundo a lei, o usuário precisa apresentar uma avaliação de um fonoaudiólogo especializado em fluência para conseguir o desconto. Gagos do Brasil — que são mais de 2 milhões — estamos do lado de vocês nessa empreitada. Esperamos uma lei federal. Enquanto isso, sugerimos o uso de um plano ilimitado ou de ligações gratuitas. [Estadão]