Em vez de trabalhar apenas no aperfeiçoamento das impressoras 3D, o pessoal do Hasso-Plattner-Institut também está se esforçando para tornar objetos do dia-a-dia mais fáceis de serem impressos, incluindo aqueles que precisam de muitas peças para funcionar e que ainda não conseguem ser reproduzidos com fidelidade.

• Sobrevivente de câncer recebe novo maxilar graças a nova técnica de impressão 3D
• Cientistas desenvolveram sistema que imprime tecidos ósseos, músculos e orelhas



Então, como se faz uma réplica de um objeto que se mexe, se você remover todas as peças? Utilizando algo chamado metamaterial, que depende de uma rede de células internas, alinhadas em padrões específicos, para que ganhem propriedades mecânicas. Os pesquisadores do Hasso-Plattner-Institut foram além e desenvolveram um metamaterial que permite movimentos repetitivos e direcionais, com o objetivo de reproduzi-los.

macaneta-3d

Por exemplo, uma maçaneta e um trinco de porta impressos em 3D não são impossíveis de se fazer, mas necessitam da reprodução de cada peça, além de uma montagem complexa. Com os metamateriais, girar a maçaneta faz com que a estrutura de células internas se recolham num efeito dominó, o que faz com que o trinco retraia. O objeto pode ser impresso em 3D de uma vez só, economizando tempo, dinheiro e materiais.

O exemplo da maçaneta é um tanto quanto inútil, já que você provavelmente não usará uma peça de plástico para proteger a sua casa. Mas os pesquisadores também desenharam ferramentas mais interessantes seguindo essa mesma lógica. Talvez você precise de alicate se um tamanho específico; uma impressora 3D seria capaz de produzi-lo rapidamente.

[Hasso-Plattner-Institut via Creative Applications]