Hoje, na Best Buy, um netbook da Compaq custa US$ 179. Na Amazon, um PS3 Slim sai por US$ 299 (o preço normal), mas vem com dois jogos top de linha. Na Tigerdirect, a ótima Nikon D3000 custa US$ 549. Na Newegg, um desktop completo baseado em Core i7 custa US$ 799. Na loja americana da Dell, o pequeno fantástico Zino HD sai por ridículos US$ 199. Problema: nenhuma delas entrega no Brasil. Mas há maneiras de solucionar isso – por um preço, é claro.

Há soluções brasileiras como o Mercadodireto ou o Boxbrazil. Basicamente você diz o que quer, informa peso e tudo, e eles simulam quanto que ficaria para entregar na sua casa, já descontado o frete internacional e desembaraço alfandegário (não sei como eles se viram com a Receita, mas se viram). Há a comodidade de você poder parcelar com o mercadopago ou pagar em boleto – eles fazem o pedido para você. O preço varia um pouco mais pela velocidade do frete, mas o mais comum é que o pedido chegue entre duas a quatro semanas.

Nunca comprei em nenhum dos dois, mas não achei reclamações. O Mercadodireto, que está aí há mais tempo (e aparece constantemente no GoogleAds aí embaixo) é uma empresa bem estabelecida e honesta. O problema: ambas metem a faca no “shipping & handling” e nos juros se você pagar com um cartão nacional ou boleto. No fim das contas, já com os impostos, o seu produto custará mais ou menos o dobro do preço americano, normalmente um pouco abaixo disso. Mas em muitos casos, especialmente de produtos menores e na Black Friday, compensa.

Se você se vira bem em inglês, a melhor solução para pagar menos – especialmente se você comprar em muita quantidade -, é alugar um endereço americano para entregas, em sites como o MyUS (o melhor deles, acho) ou o Opas (mais barato). Você basicamente ganha um endereço para colocar nos formulários de entrega quando comprar em sites como a Amazon.

Você ainda vai precisar de um cartão de crédito internacional, mas se você tem uma conta no banco, isso é fácil. Na pior das hipóteses – ou se você não tiver um bom limite no seu -, consiga um cartão internacional pré-pago como o Megabônus, do Unibanco. As grandes lojas não aceitam entregar para o Brasil, mas aceitam compras com cartões brasileiros (internacionais) desde que entregues nos EUA. Empresas como a MyUS Eles recebem por você e enviam imediatamente para o Brasil, podendo inclusive juntar vários pacotes para baratear o envio. Há vários planos. Vejamos os do MyUS:

Traduzindo: no pacote premium, você paga US$ 20 para assinar e US$ 7 por mês para manter o endereço. Você paga uma taxa de 3% a 6% por compra e paga US$ 69 para um pacote de até 2,3 kg para o Brasil. Possivelmente você ainda vai pagar 60% de imposto quando a mercadoria chegar no Brasil – e terá de retirar o pacote nos Correios. Ainda assim, pode ser um excelente negócio.

O que não vale a pena comprar assim? Coisas muito grandes como TVs ou muito pequenas como jogos de videogame (vá a eStarland para isso). O que vale: componentes de PC como memórias ou processadores, notebooks, equipamento fotográfico e produtos que você mal encontra no Mercadolivre, como um Zune HD, por exemplo.

Nossos amigos do Giz US fizeram uma grande lista de promoções quentes para a Black Friday (que normalmente duram até domingo). Veja o que você acha e conte sua experiência comprando nos EUA. É bom que fique claro: nada disso é ilegal. Você ainda vai pagar os impostos e o preço certinho para o varejista – só que em outro país.

Boas compras.