Desde fevereiro a Fox do Brasil testa a exibição de diversos seriados da sua programação na internet, tudo legendado. Hoje o serviço, chamado Mundo Fox, foi lançado oficialmente, e você pode passar lá e ver cerca de 800 horas de programação, com 24 horas, Prison Break, Simpsons e Família da Pesada, em ótima definição. O problema: um atraso de até 5 meses em relação ao que passa no canal de TV a cabo, já atrasado do que passa nos EUA.

De qualquer forma, é finalmente algo parecido com o Hulu.com, maravilha que não funciona para pessoas fora dos EUA e traz novidades da maior parte dos canais a cabo dos EUA. A tecnologia de compressão, qualidade e streaming, aliás, é a mesma do player do Hulu, e a Fox tem exclusividade de usá-la na América Latina. Outra coisa bacana, dá pra você dar o embed das coisas:

A qualidade do vídeo é variável. É alta-definição em se falando de vídeos na internet. Não é 720p ou 1080p. Quando você entra no site (dica: no IE8 funciona melhor) ele detecta sua velocidade de conexão, e transmite os vídeos em até 1.5 MB/s. Quando se vê desenhos como Family Guy, dá pra colocar na tela cheia e assistir um episódio inteiro numa boa, sem soluços. No caso de coisas como 24 Horas a compressão é um pouco mais evidente, diria que parecida com os RMVB que as pessoas usam para distribuir seriados legendados em arquivos menores.

O Mundo Fox começou em fevereiro com 200 vídeos e hoje, na estréia (apesar de ter sido acessado por 1,5 milhões de pessoas mês passado) oficial, oferece 4 vezes isso.  A idéia é ir acrescentando vídeos toda semana, além das atuais temporadas de seriados famosos. "Algumas séries há uma demanda maior por episódios antigos, como Os Simpsons, já que é difícil assistir as primeiras temporadas de outra forma", explicou Hernán Lopez, presidente e COO da FOX International Channels, durante a coletiva virtual agora à tarde. Por enquanto o acervo é meio caótico. Family Guy, atualmente meu produto favorito da Fox, tem apenas 8 epidódios – alguns da última temporada e outros da 5ª. Não faz muito sentido.

As séries mais high-profile como 24 Horas só estarão disponíveis 5 meses depois de passarem na TV brasileira. Outras estarão disponíveis alguns dias depois, como a brasileira 9mm. "Provavelmente vocês sabem que nos EUA o conteúdo está disponível online em uma semana ou um mês depois de ser transmitido. Em alguns casos, como nos programas de notícias, está disponível imediatamente depois. Estamos tomando uma postura bastante conservadora", admitiu Lopez. Provavelmente a medida é para não entrar em choque com as operadoras de TV a cabo no Brasil, que ao que tudo indica fizeram pressão para que Sony, AXN e até a própria Fox tirasse da internet programas da web recentemente.

O que a Fox ganha com isso, além de bom karma? Há publicidade no site, logo abaixo do player. É bem discreto – por enquanto não aparecem colados no vídeo, antes do que voce vai assistir, como nas TVs americanas, mas é o que dá dinheiro para as operações. A idéia é "entregar aos anunciantes uma maior quandidade de opções e modelo de segmentação", como explica Lopez. A Fox avalia o modelo de autenticação de usuário, que já funciona nos EUA. Os que já assinam uma TV a cabo, por exemplo, podem ter acesso a mais conteúdo. Ainda não há planos concretos de implantação desse tipo no Brasil. De qualquer forma, já é um caminho alternativo interessante. O que vocês acham?