Elas já foram uma ferramenta de design exclusivas para técnicos treinados, mas agora as impressoras 3D são quase tão fáceis de se usar quanto a sua impressora a jato de tinta – exceto quando você tem que desenvolver e preparar os modelos 3D. Este passo exige conhecimento em softwares de modelagem 3D, e é uma barreira que a MakerBot quer eliminar com o seu novo Digitizer Desktop 3D Scanner.

É oficial, nós vivemos no futuro. E ele é maravilhoso.

Quando combinado com uma impressora 3D, o digitalizados é quase uma copiadora para objetos do mundo real. Precisa substituir uma pequena peça que está quebrada? Em vez de entrar em contato com a fabricante você pode simplesmente jogá-lo no scanner laser, gerar (e consertar) um modelo 3D, e então imprimí-lo. O digitalizador foi mostrado pela primeira vez no SXSW hoje, e por mais que a MakerBot planeje colocar em produção quando o hardware estiver finalizado, no momento eles estão mostrando apenas um protótipo que está sendo testado e refinado.

E por mais que o Digitizer Desktop 3D Scanner certamente será um outro grande passo para tornar a impressão 3D mais comum, ele também vai acender o debate sobre legalidade e questões de direitos autorais quando falamos em duplicar objetos do mundo real.

Mas disputas legais a parte, isso ainda é bem impressionante. Além do transportador, o replicador era uma das tecnologias fictícias mais legais introduzidas em Star Trek. E por alguns milhares de dólares, qualquer um em breve poderá replicar qualquer coisa no porão. A humanidade passou pela era dos metais, do bronze e até da informação. E mesmo que a idade do plástico não tenha a mesma aura que as outras, as possibilidades dessas novas tecnologias são animadoras. [MakerBot]