Apesar de todos os esforços no sentido contrário, a verdade inconveniente é que o nosso mundo ainda depende muito do petróleo feito de pequenas criaturas mortas e bombeado do fundo do oceano. Sendo assim, uma máquina capaz de gerar petróleo sem depender de brocas, oleodutos e outras máquinas convencionais, apenas combinando hidrogênio com CO2, é algo bastante atraente.

Fabricada pela empresa alemã Sunfire, o elemento-chave é o processo Fischer-Tropsch, que transforma monóxido de carbono e hidrogênio em hidrocarboneto líquido. Para obter hidrogênio e monóxido de carbono a partir de água e CO2 são necessárias algumas etapas: primeiro, a água é transformada em vapor e o oxigênio e o hidrogênio são separados em células eletrolíticas de óxido sólido (SOEC, na sigla original). O hidrogênio é então usado para reduzir o CO2 a monóxido de carbono, que é combinado com hidrogênio para resultar em suculentos hidrocarbonetos.

O processo não é tão mágico quanto soa, já que exige muita eletricidade a fim de transformar água em vapor. Mas no momento, a Sunfire diz que todo o processo é cerca de 70% energicamente eficiente – muito melhor que os motores convencionais a diesel ou petróleo.

Em termos de escala, uma das máquinas mostradas acima, cujo valor é de “sete dígitos”, é capaz de produzir um barril de combustível por dia enquanto recicla 3,2 toneladas de CO2. Nesse ritmo, seria preciso um mundaréu de máquina (e de dinheiro!) para suprir a nossa demanda por combustíveis fósseis – só os EUA consomem 18 milhões de barris por dia. [CNET]