Marca chinesa lança “fusca elétrico” no Brasil por R$ 149 mil

Brasil está vivendo uma onda de carros elétricos de montadoras chinesas. Montadora GWM vai fazer sua própria versão de fusca
Imagem: GWM/Divulgação

Com visual inspirado no clássico Fusca, a montadora chinesa GWM prepara a chegada da sua marca de elétricos no Brasil com um compacto 100% elétrico. O Ora 03 deve estrear no mercado brasileiro ainda em 2023, custando R$ 149 mil.

Comparado com outros “pequenos”, como o Mini Cooper e o BYD Dolphin, outro elétrico chinês, o GWM Ora mede 4,23 m de comprimento e tem 2,65 m de entre-eixos.

Quem quiser adquirir o novo elétrico já pode acessar a página de pré-venda pelo Mercado Livre. Com um sinal de R$ 9 mil, é possível fazer a reserva do lançamento e garantir um modelo na garagem.

Serão duas versões para o mercado brasileiro, BEV e GT BEV. Até o momento, a única diferença anunciada entre os dois será a bateria, de 48 kWh no modelo de entrada e 63 kWh no modelo mais parrudo.

De acordo com a marca, ambos podem ser carregados de 10% a 80% em até 5h, com carregadores de corrente alternada ou 50 minutos na contínua. A expectativa é que o lançamento atraia donos de carros de marcas tradicionais que estão na mesma faixa de preço, como o Volkswagen T-Cross, Chevrolet Tracker e Hyundai Creta.

A GWM é novidade no Brasil, mas já faz sucesso na Europa, com o modelo Ora 03 sendo vendido em países como Alemanha, Reino Unido e Suécia.

Onda de carros chineses

O Brasil está vivendo uma onda de lançamentos de montadoras chinesas. A que mais chamou atenção este ano foi a BYD, que comprou as instalações da Ford na Bahia e promete investir até R$3 bilhões na produção de carros elétricos no país.

A expectativa da BYD é não parar apenas nos carros, fabricando chassis para ônibus, caminhões e processar lítio e ferro fosfato, metais de baterias, para o mercado externo, usando a estrutura portuária existente no local.

Os modelos chineses têm ganhado destaque e protagonismo neste novo momento onde a busca por veículos elétricos tem crescido junto com a diminuição dos preços. Além disso, outro fator que impulsiona o protagonismo chinês é o domínio do país na tecnologia e produção mundial de baterias para veículos elétricos.

Segundo os dados da ABVE (Associação Brasileira de Veículos Elétricos), no primeiro semestre deste ano, foram vendidas 26.014 unidades, um aumento de 59% em relação ao mesmo período de 2022. Os números posicionam o primeiro semestre de 2023 como o melhor da série histórica da associação.

Assine a newsletter do Gizmodo

Gabriel Andrade

Gabriel Andrade

Jornalista que cobre ciência, economia e tudo mais. Já passou por veículos como Poder360, Carta Capital e Yahoo.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas