Na primeira selfie tirada pela InSight, a sonda da NASA parece estar pronta e ansiosa para começar seus trabalhos.

• Novas imagens mostram que a sonda InSight, da NASA, pousou em um lugar excelente em Marte
• Esta é a primeira imagem tirada pela missão InSight na superfície de Marte

Este maravilhoso mosaico, que consiste em 11 fotos individuais, mostra toda a sonda, repousando na superfície marciana. As fotos foram capturadas pela Câmera de Implantação de Instrumentos no braço robótico da InSight. Os dois painéis solares do aterrissador podem ser vistos juntos com vários instrumentos científicos em seu deck, como um sensor de clima e uma antena UHF. A InSight aterrissou em Marte no dia 26 de novembro, e o projeto da NASA tem se saído muito bem nessas fases iniciais.

Um segundo mosaico, este composto por 52 imagens individuais, mostra o local de trabalho imediato da InSight, ou seja, a área sobre a qual a sonda irá eventualmente plantar seus instrumentos científicos. A área mostrada no mosaico mede cerca de 4,26 metros por 2,13 metros. As áreas de cor lavanda mostram os melhores locais para o pousador colocar seu sismógrafo: o Experimento Sísmico para Estrutura Interior, no original Seismic Experiment for Interior Structure (SEIS).

Um mosaico do local de trabalho da InSight. A cor lavanda representa áreas ideais para a colocação do sismógrafo da sonda. Imagem: NASA/JPL-Caltech

Essa é, por sorte, a área dentro da qual a sonda estacionária fará o seu trabalho. A NASA escolheu este local em particular em Marte, Elysium Planitia, porque ele é relativamente livre de rochas. Mas, para tornar as coisas ainda melhores, a sonda calhou de pousar em um buraco livre de rochas — criado por um antigo impacto de meteorito e que lentamente se encheu de areia — que parece estar excepcionalmente livre de rochas, exceto por algumas pequenas pedras espalhadas.

“A quase ausência de rochas, colinas e buracos significa que será extremamente seguro para nossos instrumentos”, disse o investigador principal da InSight, Bruce Banerdt, em um comunicado. “Isso pode parecer um pedaço de chão bastante plano se não fosse em Marte, mas estamos felizes em ver isso.”

Os planejadores da missão agora terão que decidir onde, dentro dessa área, a sonda deverá colocar os seus instrumentos de sensoriamento de terra. Uma vez que um ponto tenha sido localizado, eles transmitirão comandos para a sonda, instruindo o braço robótico da InSight a configurar cuidadosamente o SEIS e sua sonda de fluxo de calor, chamada de Heat Flow and Physical Properties Package, nos locais pré-selecionados.

Quanto mais plana for a superfície, melhor, pois esses instrumentos funcionarão de forma mais eficiente em terrenos nivelados. Também será bom para a InSight evitar rochas maiores do que cerca de 1,3 centímetro. Uma vez iniciada a perfuração, a sonda de fluxo de calor poderá cavar até quase cinco metros abaixo da superfície marciana.

Com tantos pontos potenciais de falha, é um alívio ver esse projeto começar de forma tão suave. Estamos batendo na madeira para que as coisas continuem correndo bem para a NASA e sua intrépida nova sonda.

[NASA]