No ano passado, o casal Marcos e Thalita Cardoso foi detido pela Polícia Federal por administrar o Mega Filmes HD, site de filmes e séries pirateadas. O site saiu do ar e, desde então, eles respondem em liberdade, mas foram recentemente intimados a depor.

Polícia Federal tira do ar três sites brasileiros de filmes piratas
A vida de um ex-hacker que agora está proibido de usar a internet

Segundo o G1, um homem detido pela PF disse que o casal autorizou o uso do nome Mega Filmes em outra página, o megafilmeshd20.org, que foi recentemente fechada com ajuda da Interpol.

Por isso, Marcos e Thalita prestaram depoimento na delegacia da Polícia Federal de Sorocaba; foram cerca de duas horas. Fábio Moura, advogado de defesa do casal, afirma ao G1 que “eles não sabem de nada, não têm envolvimento nenhum”.

O advogado complementa: “eles reconhecem o erro e trabalham fora disso. A Talita trabalha em uma fazenda e o Marcos é registrado. Ele, inclusive, tem trauma da história e nem chega mais perto de computadores”.

Segundo a Polícia Federal, o casal chegava a lucrar até R$ 70 mil por mês. No entanto, Marcos disse no ano passado que “a grande quantia só começou este ano, antes não era tanto. Quando começamos a receber muito, ‘torramos’ com baladas”.

Eles ostentavam uma vida de luxo na internet. Com a operação da PF, bens e contas bancárias foram apreendidos; algumas semanas depois, o casal estava vendendo salgados e usando um veículo emprestado para entregas.

Na semana passada, a PF realizou a segunda fase da Operação Barba Negra para desarticular grupos de pirataria na internet. As autoridades derrubaram o armagedomfilmes.biz, filmesonlinegratis.net e megafilmeshd20.org, que somavam cerca de 64 milhões de visitas por mês, e ganhavam dinheiro com propagandas online. Cinco pessoas foram presas.

Alguns dias depois, outros 30 sites de conteúdo pirata saíram do ar, incluindo megablogfilmes.net, assistirfilmesdublados.com.br, armagedomfilmes.org e megafilmeshd.tv.

[G1]

Foto por Peter Dutton/Flickr