Esta nova célula utiliza apenas quatro componentes – um reservatório de água e uma câmara contendo hidreto metálico separado por uma membrana fina com um conjunto de eletrodos que conduzem eletricidade por baixo. Por causa do tamanho diminuto da célula, a equipe foi capaz de eliminar a bomba, o sensor de pressão e os eletrônicos controladores que geram desperdício de energia em células combustíveis comuns.

Os primeiros designs da célula foram capazes de gerar 0,7 volts e uma corrente de 0,1 miliamperes por 30 horas – mas eles dizem que novas versões serão capazes de 1 mA com voltagem semelhante. [New Scientist via Cleantech via DVICE]