Cientistas conceberam uma forma de se comunicar secretamente, enviando mensagens transmitidas por laser diretamente para a área em torno do ouvido de uma pessoa.

Os humanos gostam de conversar uns com os outros e muitas vezes o fazem de forma a evitar que os intrometidos ouçam. Essa nova pesquisa poderia ter aplicações militares potenciais — mas vai saber onde mais poderia ser útil?

“A capacidade de se comunicar com um sujeito específico em um local prescrito que carece de qualquer equipamento de comunicação abre muitas possibilidades intrigantes”, os autores escrevem no artigo publicado recentemente na revista Optics Letters.

Como um dispositivo desses funcionaria? Ele pode ajudar a compreender o que é realmente o som: pulsos ou vibrações que viajam através de moléculas de ar para os nossos tímpanos, que depois vibram, tornando-se a entrada analógica que os nossos cérebros interpretam como sons específicos.

O dispositivo gera sons no ar usando um processo chamado efeito fotoacústico. Os pesquisadores sintonizam a luz do laser em um comprimento de onda específico que eles sabem que fará com que as moléculas de água no ar vibrem, mas que não causará danos aos nossos olhos.

Porém, o laser só faz com que as moléculas vibrem — os pesquisadores precisavam introduzir outro elemento para conferir às moléculas de água ambiente do ar mais som do que apenas um único drone ou pulso. Experimentos passados, assim como esse, usaram um instrumento chamado “modulador acústico-óptico” para mudar a força do pulso do laser e, por sua vez, o comportamento das moléculas de água. Mas, neste trabalho, os pesquisadores também desenvolveram um novo método, em que o laser primeiro passa para um espelho giratório rápido, que basicamente espalha o feixe de laser para fora. Ajustar o tamanho do espalhamento produz frequências diferentes.

O novo método produziu sons mais altos que um método mais antigo, de acordo com o artigo; os sons foram amplificados para 60 decibéis, aproximadamente o volume de música de fundo. Pedi aos autores do estudo que descrevessem como é ouvir esses sons especialmente criados.

“Talvez o mais divertido tenha sido ouvir o sistema fotoacústico dinâmico. Tivemos de posicionar os nossos ouvidos no ponto certo (alguns centímetros de extensão) para ouvir o áudio, caso contrário não ouviríamos nada. Foi um efeito um pouco estranho mas satisfatório“, disse Charles Wynn, líder da equipe de pesquisa e membro do Laboratório Lincoln, do MIT.

Wynn também falou sobre as mensagens que foram transmitidas, descrevendo que, primeiro, foram tons únicos e varreduras de frequência usando as técnicas tradicionais e dinâmicas de comunicação fotoacústica.

“Depois, transmitimos formas de onda mais avançadas, como palavras faladas e música (incluindo ‘Malibu’, de Miley Cyrus), usando a configuração fotoacústica tradicional. Com um pouco mais de engenharia, esperamos poder projetar um sistema de comunicações fotoacústicas dinâmico com a largura de banda necessária para codificar e transmitir as mensagens de áudio mais detalhadas”, completou o líder da pesquisa.

Esse trabalho foi apenas um estudo de prova de conceito; o som só podia ser transmitido para os receptores a uma curta distância — de 2,5 metros —, de acordo com o artigo. Mas os pesquisadores estão trabalhando para expandir seu método de trabalho para distâncias maiores.

Há muitos cenários estranhos nos quais você pode imaginar a necessidade de enviar uma mensagem secreta por meio de pulsos de laser. Nos meus sonhos, eles vão substituir as estações numéricas, que me dão pesadelos.