Esta semana eu comprei uma bateria nova para meu laptop no MercadoLivre. Encontrá-la foi fácil, comprá-la também. O único problema é o frete: entrei em contato por e-mail para saber quanto era, paguei separado e precisei enviar comprovante do pagamento (um screenshot).

Mas parece que essa complicação está prestes a acabar: o MercadoLivre fechou uma parceria com os Correios para facilitar o cálculo do frete e o envio do produto.

Segundo o IDG Now, o MercadoEnvios pode ser adotado sem custo pelos 5 milhões de vendedores no ML. Dessa forma, a página do produto recebe uma calculadora de frete com as opções Sedex ou PAC.

O frete é calculado “utilizando tarifas especiais dos Correios até 20% mais baratas”, segundo o ML, e então somado ao valor do produto. E você pode acompanhar a entrega do produto na própria página de compra, em vez de ir ao site dos Correios.

O sistema também facilita as coisas para o vendedor, gerando uma etiqueta que ele pode imprimir, colar no pacote e enviar ao cliente. O MercadoEnvios aparentemente estava disponível para alguns vendedores desde outubro do ano passado, mas agora pode ser usado por todos.

A adesão ao MercadoEnvios é opcional, mas o diretor-geral do ML espera que ele seja bastante usado: com isso, a empresa poderá conseguir tarifas melhores junto aos Correios, dada a quantidade de produtos que o MercadoLivre envia – 53 milhões só em 2011. Outro executivo da empresa diz que o acordo com os Correios não é de exclusividade: no futuro, outras empresas de entrega poderão ser parceiras.

Enfim, o MercadoLivre está resolvendo o problema do frete. Agora falta cuidar dos vendedores picaretas por lá. [MercadoLivre via IDG Now]