A Apple fez um movimento muito esperado pela indústria no final deste ano: lançou os primeiros MacBooks com o processador próprio M1. E parece que ela não será a única empresa a seguir por esse caminho, já que a Microsoft estaria projetando um chipset próprio baseado em ARM para usar em seus servidores em nuvem Azure – e, quem sabe futuramente, até em um dispositivo Surface.

Esta não é a primeira vez que ouvimos rumores sobre a transição da Microsoft para processadores ARM. Três anos atrás, a companhia se comprometeu a usar chips ARM em seus servidores, além de confirmar que estava testando chips Qualcomm e Cavium para tarefas como pesquisa, armazenamento e aprendizado de máquina. A informação veio de Jason Zander, vice-presidente da divisão de nuvem Azure da Microsoft.

Atualmente, a Microsoft ainda usa CPUs Intel em todas as suas máquinas virtuais do Azure. Contudo, nos últimos anos, lançou vários produtos de consumo que utilizam ARM junto com suas versões Intel nos últimos anos, incluindo um Surface baseado em AMD. Dos nove produtos Surface que a empresa oferece atualmente, o Surface Pro X é o único que vem com processador da Qualcomm, ou um Microsoft SQ 1 ou Microsoft SQ 2, dependendo do modelo selecionado. Todas as outras variantes vêm apenas com opções Intel ou AMD.

Mudar para os próprios processadores pode ajudar a Microsoft a gerenciar melhor suas linhas de produção. Essa também foi uma vantagem para a Apple. No entanto, de acordo com um ex-engenheiro da Intel, o maior motivo para a mudança da Apple – e pode ser para a Microsoft agora também – foi devido a problemas com os chips Skylake da Intel. Diversos erros foram encontrados nos processadores de  10 nm e 7 nm da companhia.

Claro, a Microsoft tem muito menos a perder do que a Apple no que diz respeito aos processadores em seus notebooks. Mas considerando o lançamento bem recebido que a Apple teve com sua CPU M1, pode ser um bom momento para a Microsoft apresentar um chipset próprio, como disse que faria anos atrás.

[Bloomberg News]