Não é de hoje que o Office para iOS é objeto de rumores, mas parece que o seu lançamento não depende apenas do desenvolvimento dos apps: a Microsoft também quer que a Apple corte a comissão de compras feitas dentro do app para lançá-lo.

Para transações feitas dentro de um app, a Apple cobra uma taxa de 30% do desenvolvedor. Segundo o AllThingsD, a Microsoft acha essa comissão muito alta e quer diminuí-la para poder colocar o Office na App Store.

Os apps do Word, PowerPoint e Excel devem ser gratuitos, mas só permitirão a leitura de arquivos. Para editá-los, a Microsoft vai exigir uma assinatura do Office 365, que deve custar a partir de US$ 99 por ano e valerá também para a versão de desktop da plataforma. Essa assinatura poderá ser feita de dentro do app e aí é que está o problema – a Microsoft não quer dar US$ 30 para a Apple cada vez que alguém comprar uma assinatura dentro de um dos apps.

A Microsoft fez uma proposta para a Apple diferente da divisão tradicional 70/30 nas receitas, mas a Apple recusou e, pelo jeito, não está nem um pouco disposta a conversar sobre o assunto. Regras são regras e elas valem para todos, e essa é a posição da Apple.

O impasse não afeta só o futuro Office para iOS: o SkyDrive teve uma atualização para iOS rejeitada pela Apple também por problemas relacionados à divisão de lucros nas vendas dentro do app. A Microsoft também não quer dar 30% de cada venda de espaço extra para usuários do SkyDrive para a Apple.

Se as empresas chegarem a um acordo, o Office para iOS deve chegar à App Store em algum momento de 2013. [AllThingsD]