A Agência Espacial Europeia perdeu contato com o módulo Philae em maio de 2015, pouco depois de conseguir realizar o pouso no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. Agora, a câmera de alta resolução da sonda Rosetta conseguiu encontrá-lo preso numa fenda.

• Cientistas confirmam que cometas têm um cheiro bem estranho
• A sonda Rosetta encontrou os blocos básicos da vida em um cometa
• Como será o final dramático para a sonda Rosetta que orbita um cometa

Fazer um pouso num cometa em movimento era uma missão incrivelmente ambiciosa, mas a equipe da missão Rosetta conseguiu realizar o feito em novembro de 2014. Porém, alguns problemas acabaram resultando na perda de contato com o Philae.

Quando o módulo pousou em novembro de 2014, ele saltou duas vezes e acabou ficando sob a sombra escura de um penhasco. Sem luz o suficiente para recarregar os painéis solares, Philae ficou sem energia rapidamente. Dentro de 57 horas, não foi possível fazer novo contato.

Seis meses depois, quando o cometa 67P se aproximou do Sol, a Philae conseguiu energia e fez contato com a Terra. Em seguida, ficou em silêncio novamente. Desde então, não foi possível ouvir mais nada.

rosetta-philae
O módulo Philae em uma fenda do cometa (ESA/Rosetta/MPS for OSIRIS Team MPS/UPD/LAM/IAA/SSO/INTA/UPM/DASP/IDA)

Os cientistas da missão Rosetta conseguiram estimar a localização da Philae se baseando nos dados das últimas transmissões. Embora tivessem encontrado algumas localizações possíveis, as imagens não tinham resolução o suficiente para confirmar que era mesmo o módulo.

No dia 2 de setembro, a órbita da Rosetta ficou perto o suficiente do cometa 67P e a câmera Osiris conseguiu encontrar Philae:

rosetta-philae-1Imagem: ESA/Rosetta/MPS for OSIRIS Team MPS/UPD/LAM/IAA/SSO/INTA/UPM/DASP/IDA

Conforme o cometa se afasta do Sol e segue em direção a Júpiter, haverá cada vez menos energia solar disponível para a missão Rosetta. Os astrônomos farão com que a sonda atinja o cometa num pouso lento e controlado, no dia 30 de setembro. Enquanto isso, os equipamentos irão coletar e transmitir o máximo de dados. Fica a expectativa para recebermos imagens espetaculares do cometa 67P.

Primeira imagem por ESA