O segmento russo da Estação Espacial Internacional (ISS) está pronto para receber o módulo Nauka, após a remoção bem-sucedida da estação de ancoragem Pirs e da espaçonave Progress.

De acordo com um comunicado oficial da NASA, às 5h55 da manhã (horário de Brasília) desta segunda-feira (26), o veículo de transporte de carga Progress MS-16 desengatado, junto com a estação de acoplamento Pirs, foi desacoplado da ISS. Ambos deveriam ter sido destruídos durante uma reentrada controlada através da atmosfera da Terra, e a agência espacial russa Roscosmos tweetou que os “elementos estruturais da nave que não são combustíveis” caíram no Oceano Pacífico.

A missão Progress 77 chegou à ISS em fevereiro de 2021, entregando suprimentos e carga para a tripulação da Expedição 65. O módulo Pirs está em serviço há 20 anos, tendo sido lançado na estação em 14 de setembro de 2001. Pirs, que significa “cais” em russo, está sendo desativado para dar lugar ao módulo de entrada Nauka, também conhecido como Módulo Multi-propósito de Laboratório (MLM), que foi lançado em órbita na quarta-feira da semana passada (21).

O compartimento de ancoragem e a nave espacial pouco antes da reentrada na segunda-feira, 26 de julho de 2021. Imagem: Roscosmos

O plano original era desacoplar o Pirs na sexta-feira, 23 de julho, mas teve que ser alterado para esta segunda-feira após uma série de problemas com a missão Nauka, lançada em 21 de julho do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. Além de não completar sua primeira queima de aumento de órbita (um problema resolvido com propulsores de backup), Nauka tem um pequeno defeito aparente na antena. Também há algo estranho acontecendo com a peça de encaixe, que pode apresentar dificuldades nesta quinta-feira (29), quando deve ser acoplada à estação.

No último sábado (24), assim que ficou claro que o Nauka chegaria à ISS, os cosmonautas Oleg Novitskiy e Pyotr Dubrov — ambos da da Roscosmos — começaram os preparativos para o desencaixe, fechando as escotilhas de transferência entre Pirs e o segmento russo da estação espacial, ao mesmo tempo que verificavam a integridade da pressão.

A estação de ancoragem Pirs tem 4,9 metros de comprimento e 2,6 metros de largura, e pesa exatos 3.838 quilos. Nas últimas duas décadas, o módulo serviu como laboratório de ciências, porta de acoplamento e câmara de descompressão para caminhadas espaciais.

Assine a newsletter do Gizmodo

Após o desencaixe, o módulo e a espaçonave foram movidos para uma distância segura. Os controladores usaram os propulsores da Progress para desacelerar os objetos, em um procedimento que ocorreu às 09h01 pelo horário de Brasília. Segundo a Roscosmos, que restou após a reentrada na atmosfera terrestre caiu em “uma área não navegável do Oceano Pacífico”.

Sem o Pirs e a nave Progress, o segmento russo na ISS está pronto para receber Nauka, que significa “ciência” em russo. O novo módulo vai proporcionar mais espaço para experimentos científicos, cargas e equipamentos. Nauka também está entregando um novo braço robótico da Europa, que atenderá o segmento russo da estação espacial.