Em meados de setembro, a Sony revelou que está encerrando sua operação envolvendo TVs, aparelhos de som e câmeras no Brasil. Isso inclui a fábrica responsável pela construção dos dispositivos, que fica na Zona Franca de Manaus (AM). Mas o local não será desativado, e já tem até uma nova dona: a Mondial, que confirmou a compra da instalação.

O valor da operação não foi revelado. Embora não tenha revelado informações sobre o que exatamente irá produzir, o Estadão apurou que a empresa usará o lugar para fazer sua estreia no mercado de TVs, micro-ondas e ar-condicionado. Vale lembrar que a Mondial já possui uma fábrica na região desde 2014, onde são produzidos DVDs, caixas de som acústicas de média e alta potência, e outros produtos da linha de áudio e vídeo.

A aquisição vale não somente para a área total de 55 mil metros quadrados e 27 mil m² de área construída, mas também para todos os equipamentos dentro do imóvel. A transição deve ser concluída a partir de 1° de fevereiro, quando as estruturas produtivas, laboratórios de análise, salas de testes, fabricação de moldes, linhas de montagens com equipamento de última geração, warehouse e demais instalações da Sony passarão a abrigar toda a produção da linha marrom atual da Mondial.

O local onde hoje fica a fábrica da Sony, na Zona Franca de Manaus. Imagem: Mondial/Divulgação

Além disso, a Mondial afirma que vai abrir 200 novas vagas para o início da operação na nova fábrica e mais 220 a partir do segundo semestre de 2021. Eles se juntarão aos 240 funcionários que hoje trabalham na unidade da companhia em Manaus.

“Estratégias que estavam definidas para acontecerem nos próximos anos serão antecipadas, tanto no incremento de produção das linhas atuais, como na entrada nos novos segmentos de produtos. Faremos três anos em seis meses”, afirma Giovanni M. Cardoso, cofundador da Mondial, em comunicado enviado à imprensa na manhã deste sábado (5).

Em todo o Brasil, a Mondial tem 3.700 colaboradores. Desde o início de 2020, a fabricante diz ter investido mais de R$ 60 milhões em estruturas industriais, equipamentos e moldes, além de aumentar em 30% o parque de injetoras e contratar mais de 400 novos funcionários na fábrica da Bahia. Atualmente, a companhia conta com uma linha de 401 produtos.