No último sábado (6), um motorista de ônibus morreu em uma misteriosa explosão no sul da Índia. Sua morte ganhou mais relevância quando a polícia local disse que ele foi morto por um meteorito.

O Instituto Indiano de Astrofísica ainda trabalha para confirmar a hipótese. No entanto, a NASA acredita que o incidente não foi causado por um meteorito, e sim por uma explosão local. Se o caso for confirmado, seria oficialmente a primeira morte de um humano por meteorito.

Durante nossa longa história, ninguém foi vítima de uma rocha caindo do espaço? É bem difícil confirmar. Um dos motivos tem relação com a probabilidade de ser morto por um meteorito, que é baixíssima: cerca de 1 em 700.000, segundo cálculos feitos pelo astrônomo Alan Harris. Ser atingido pelo impacto de uma rocha espacial é menos provável que morrer afogado, ser vítima de um acidente de avião, ser levado por um tornado ou morto por outro humano.

História

Um relatório do National Resource Council estima que há aproximadamente 91 acidentes relacionados a meteoritos a cada ano. E talvez muitas mortes causadas por meteorito simplesmente não sejam reportadas como tal — uma possibilidade embasada pelo fato de que dados históricos são muito escassos antes do século XIX.

Ainda assim, segundo dados compilados pela Harvard’s International Comet Quarterly, houve alguns incidentes causados nos últimos 200 anos. O relatório cita a história de um homem indiano que foi morto por um meteorito em 1825, e que posteriormente foi contestada; há outro caso de um indiano que foi atingido no braço por uma pedra espacial em 1827; e muitos outros incidentes de meteoritos envolvendo tetos de carros amassados ou pedras espaciais que acertaram outras partes de veículos.

Um relato (possivelmente apócrifo) diz que um meteorito atingiu uma casa na China em 1907, destruindo-a e matando todas as pessoas que estavam dentro. Em 1915, houve ainda outro relato sobre um meteorito que quebrou o braço de uma chinesa.

Com animais, há relatos firmes relacionados a morte por meteorito, incluindo o caso de um cavalo que foi morto por um em New Concord, em Ohio (EUA), em 1860; e um cachorro que teve o azar de levar uma pancada durante uma chuva de meteoros em Nakhla, no Egito, em 1911.

Foram poucas as vezes que meteoritos ameaçaram de fato causar destruição. Há três anos, uma pedra espacial ultrapassou a atmosfera da Terra e explodiu em Chelyabinsk, Rússia, produzindo um impacto que danificou vários prédios e machucou milhares de pessoas. Apesar disso, ninguém morreu.

O incidente em Chelyabinsk foi fichinha comparado com o asteroide que explodiu em Tunguska, na Sibéria, em 1908, danificando uma área florestal de 16 km². Cientistas estimam que o ocorrido em Tunguska gerou uma energia equivalente a 185 bombas de Hiroshima. Se tivesse ocorrido em Nova York, pelo menos 3 milhões de pessoas teriam morrido.

Incidentes como os ocorridos em Chelyabinsk e Tunguska são raros, mas eles servem para nos lembrar que existe a possibilidade, ainda que pequena, de sermos atingidos por algo vindo de cima.

“Probabilidade não pode ser ignorada”

Ok, mas e esse caso recente na Índia? Entrei em contato com Harris — o cara que calculou a possibilidade de sermos mortos por um meteorito — e ele vê o caso com ceticismo. “A probabilidade de alguém, em algum lugar, em algum dia na história morrer atingido por um meteorito ou pela explosão de um não pode ser ignorada”, disse ele ao Gizmodo por e-mail.

Ele continua. “Mas coloquemos os fatos em perspectiva: todo ano, cerca de 100 milhões de pessoas morrem, a maioria delas por circunstâncias obscuras. Qual a probabilidade de alguém dizer que alguém morreu atingido por um meteorito quando, na verdade, essa pessoa quer esconder a causa real do incidente?”

Enquanto esperamos as autoridades indianas confirmarem ou negarem o fato, vou deixar vocês com um fato mórbido para se pensar. Os cálculos de Harris mostram que a probabilidade de haver um impacto no estilo Armaggedon é menos provável que um impacto de um meteorito menor. No entanto, as chances de ser morto nas duas situações são praticamente iguais.

Então, enquanto não há mortes confirmadas por meteoritos, as probabilidades são iguais. Se você for atingido e morto por um meteorito, os 7 bilhões que habitam a Terra também podem ir com você.

Imagem via AP