A Motorola escolheu o Brasil para fazer o anúncio global do Moto Z2 Play. A segunda geração do celular com acessórios modulares começa a ser vendida ainda nesta quinta-feira (1), com preços a partir de R$ 1.999. A companhia destacou, em evento realizado em São Paulo, que cresceu duas vezes mais do que o restante da indústria na América Latina, principalmente no segmento dos modelos topo de linha. Sergio Buniac, presidente da Motorola para a América Latina, afirmou que foram vendidas 3 milhões de unidades do Moto Z no mundo e que irão concentrar esforços na linha.

• Qual é o grande plano da Microsoft para smartphones?
• Por que as telas dos novos smartphones estão ficando compridas e meio esquisitas

O Moto Z2 Play está mais fino e mais leve do que a primeira geração, que já era bem fininha e leve. Com 5,9mm de espessura e pesando 145 gramas (15% mais fino e 12% mais leve), a fabricante decidiu sacrificar a bateria – item que tanto se destaca como essencial para seus consumidores. A bateria do novo aparelho possui 3000 mAh, contra 3510 mAh da geração anterior, diferença significativa.

Ele tem ainda processador Snapdragon 626, 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento. Especificações razoáveis, dado o preço do modelo. A companhia não parece ter nenhuma carta na manga para elevar o patamar e bater de frente com últimos destaques, como o Galaxy S8. A tela dele, por exemplo, tem 5,5 polegadas com resolução Full HD e nada da tendência de bordas infinitas adotadas pela LG e pela Samsung. Foram realizadas algumas melhorias na câmera frontal, que tem sensor de 5 megapixels com ângulo de 85 graus e um flash duplo. Já o sensor traseiro tem 12 megapixels e autofoco a laser.

O leitor biométrico continua na mesma posição e herdou os truques anunciados no Moto G5: além de desbloquear a tela, é possível ativar navegação por gestos. Deslizar para a direita te leva para o multitarefa, deslizar para a esquerda é o equivalente ao botão voltar, e para ir para à tela inicial é só apertá-lo. As ações Motorola também estão mais inteligentes. Agora é possível responder uma mensagem diretamente, ou iniciar o Google Maps a partir do Moto Display – você arrasta o ícone para resposta, e o teclado surge. É uma ação similar às respostas rápidas por meio da barra de notificações. Os comandos de voz também estão mais ágeis por ali: ao ditar alguma pergunta, dá para checar a previsão do tempo, os emails ou atualizar o calendário, sem tocar no aparelho. Tudo isso já vem rodando com a última versão do Android, a 7.1.1.

Todos os snaps – acessórios modulares – funcionarão nas duas gerações do Moto Z Play. Com a nova geração, a Motorola anunciou atualizações de snaps já existentes, como o JBL SoundBoost 2, que agora tem outro design e bateria com dez horas de autonomia. O módulo de bateria extra com 2220 mAh e 4,99mm ganhou novas estampas, além de ganhar uma companheira mais parruda, a Turbo Power Pack, que possui capacidade de 3490 mAh, com tecnologia de carregamento rápido. Os snaps Insta-Share, de projeção de imagens, e Hasselblad True Zoom também estão no pacote. O destaque mesmo foi o Moto GamePad, que adiciona ao celular dois joysticks analógicos, botões direcionais e botões de ação.

Moto Z2 Play tem preço sugerido R$ 1.999,00 na versão mais básica, sem acessórios. Por R$ 2.199, dá para comprar a versão com Power Pack ou com o JBL SoundBoost; e por R$ 2.699,00, você pode escolher o pacote com Hasselblad Zoom ou com o projetor InstaShare. Os modelos começaram a ser vendidos ainda nesta quinta-feira, a partir do meio-dia, nas cores dourado, cinza e azul topázio.

Outro anúncio realizado nesta manhã diz respeito à marca da empresa. Jan Huckfeldt, CMO da Motorola, anunciou que o foco da marca a partir de agora será apenas Motorola, deixando a confusão envolvendo o nome da Lenovo de lado.

Todas as imagens: Alessandro Junior/Gizmodo Brasil