Processadores móveis tentam constantemente resolver uma conta aparentemente insolúvel: como entregar muito poder de processamento ao usuário sem esquentar o dispositivo ou acabar com a bateria? É possível atingir esse equilíbrio?

Sim, e existem várias formas. Uma das mais bacanas, e exclusiva da família Snapdragon, da Qualcomm, é o multiprocessamento assíncrono. Nome estranho? Calma, a gente vai explicar.



Processadores com dois ou mais núcleos utilizam de formas diferentes essas cabeças pensantes. Na maioria dos modelos, os núcleos são acessados uniformemente, abordagem que embora cumpra as tarefas, tem como efeito colateral uma grande ineficiência energética – em outras palavras, desperdiça muita energia.

No Snapdragon, o multiprocessamento assíncrono permite que os núcleos trabalhem de forma independente. Dessa forma, entregam a exata medida de poder que aplicativos e jogos exigem. Os principais benefícios dessa tecnologia única no segmento móvel são economia de bateria e equipamentos que esquentam menos – tudo isso, é claro, sem prejudicar o desempenho. Vantagens que só um Snapdragon podem proporcionar.